Pelosi diz que conversou por precaução com militares para evitar que Trump use arsenal nuclear

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A presidente da Câmara dos Representantes (equivalente a Câmara dos Deputados no Brasil) dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, revelou nesta sexta-feira (8) ter conversado com o comando militar do país para encontrar uma forma de impedir que Donald Trump lance uma ataque nuclear em seus últimos dias da Casa Branca. Não há nenhuma informação, até o momento, de que o atual presidente pretenda tomar qualquer ação neste sentido. O mandato do republicano acaba no próximo dia 20, quando Joe Biden assumirá o comando do país. Mesmo assim, Pelosi disse ter conversado com a cúpula militar em busca de uma maneira de impedir que Trump tenha acesso aos códigos nucleares caso ele decida realizar um ataque. "Esta manhã, falei com o chefe do Estado-Maior Conjunto, Mark Milley, para discutir as precauções disponíveis para evitar que um presidente instável inicie hostilidades militares ou acesse os códigos de lançamento e ordene um ataque nuclear", escreveu Pelosi em uma carta para os deputados. "A situação deste presidente desequilibrado não poderia ser mais perigosa, e devemos fazer tudo o que pudermos para proteger o povo americano de seu ataque desequilibrado ao nosso país e à nossa democracia". No documento, a presidente da Câmara também voltou a defender que Trump seja afastado do cargo por meio da 25ª Emenda da Constituição —dispositivo que permite ao vice-presidente assumir o comando do país caso o titular não seja capaz de cumprir suas funções. Pelosi também repetiu a ameaça de autorizar a abertura de um processo de impeachment contra o atual presidente caso o vice, Mike Pence, não acione o artigo constitucional nos próximos dias.