Pensão, fuga da polícia e briga judicial: entenda a guerra de acusações entre Enner Valencia e sua ex-companheira

O primeiro gol da Copa do Mundo do Catar tem nome, sobrenome e nacionalidade definida: foi de Enner Valencia, que abriu o placar para o Equador diante do Catar, neste domingo, no Estádio Al Bayt. E não tardou para a sua história ganhar as redes sociais. Em especial, o fato de ter fingido lesão para fugir de ambulância após a polícia querer prendê-lo pelo não pagamento de pensão. No entanto, a história e envolve uma guerra de acusações com a sua ex-companheira. O GLOBO explica.

O fato aconteceu em outubro de 2016, durante um amistoso entre Equador e Chile. Enner deixou o estádio de maca, com uma máscara de oxigênio, obrigando o seu transporte de ambulância para o hospital. A polícia foi atrás do atleta, mas o jogador conseguiu chegar ao local sem ser detido. Mais tarde, o seu advogado, Juan Carlos Carmihniani, comunicou que se chegou a um acordo e a ordem de prisão foi anulada. A pensão era de 18 mil euros.

Aqui começa a confusão. Posteriormente, Valencia usou seu Instagram para explicar a bizarra sequência de eventos. O texto que tem o título de "a verdade que a maioria das pessoas não sabe" conta a sua versão da história, onde o atacante acusa a ex-parceira e modelo Sinthyia Pinargote Churo de maus tratos.

Segundo Enner Valencia, Pinargote iniciou uma ação legal contra o jogador por seu "suposto descumprimento de deveres como pai" de uma criança de cinco anos na época. O colombiano, no entanto, justifica dizendo que a modelo "abusou física e mentalmente" de sua filha.

No texto, Valencia segue dizendo que "conseguiu provar" que Pinargote comprou um carro de luxo, joias e pagou viagens com o valor pago da pensão alimentícia. O colombiano também afirma que a modelo "deixou a criança abandonada enquanto fazia trabalhos" e "frequentava clubes de strip em Guayaquil", no Equador.

Ele completa afirmando que a modelo também a deixa exposta a pornografia. Acusações à parte, certo é que o advogado do jogador, Juan Carlos Carmigniani, conseguiu anular as acusações e Valencia segue com a guarda da criança.