Pentágono minimiza confrontos do fim de semana no Afeganistão

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Militares norte-americanos colocam uma corrente na entrada da embaixada dos EUA em Cabul logo após a queda do Talibã em dezembro de 2001

O Pentágono minimizou nesta segunda-feira (3) os combates do fim de semana entre as forças do governo e os insurgentes do Talibã no Afeganistão e garantiu que não teriam impacto na retirada das forças estrangeiras do país.

"O que vimos são pequenos ataques de hostilidade que não tiveram um impacto significativo sobre nossos homens, nossos equipamentos e as bases", disse o porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, John Kirby, a repórteres.

“Ainda não vimos nada que afete a retirada”, acrescentou.

O Talibã e o exército afegão entraram em confronto em várias províncias, incluindo o antigo reduto insurgente de Kandahar, onde os militares americanos realizaram um "ataque de precisão" no sábado, depois que uma de suas bases recebeu fogo indireto sem causar danos.

"Acho que vocês viram no fim de semana que o general (Austin) Miller certamente tem opções à sua disposição para defender nossas tropas e nosso povo", disse o porta-voz, referindo-se ao comandante das forças americanas no Afeganistão.

Além disso, os Estados Unidos estão estudando a possibilidade de conceder vistos a intérpretes afegãos que ajudaram os militares americanos e que temem ser alvos quando as forças estrangeiras deixarem o país, disse Kirby.

Com milhares de ex-intérpretes afegãos aguardando uma resposta aos seus pedidos de visto para os EUA, o porta-voz disse que o Pentágono está em negociações com o Departamento de Estado, que é responsável pelo assunto.

sl/rle/gma/rsr/jc/mvv