Percussionista é morto a facadas durante assalto na zona sul de SP

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O percussionista Arthur de Jesus Dias, 20 anos, integrante do Grupo Sambará, foi morto a golpes de faca na madrugada de segunda-feira (24) durante assalto ocorrido na avenida Nossa Senhora de Sabará, no Campo Grande (zona sul da capital paulista).

Horas antes, o jovem havia participado da gravação do primeiro DVD do grupo musical, do qual fazia parte, em uma casa noturna próxima ao local do crime.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pelo 11º DP (Santo Amaro), policiais militares foram acionados para atender um caso de agressão e, ao chegarem ao local, encontraram o rapaz caído com diversos ferimentos aparentemente provocados por golpes de faca. A vítima foi socorrida ao Hospital Geral de Pedreira (também na zona sul), mas não resistiu aos ferimentos.

À polícia, uma jovem de 22 anos, que estava com Arthur e testemunhou o crime, contou que ambos estavam indo para um hotel próximo de onde aconteceu a gravação do DVD quando surgiu um homem pedindo um isqueiro.

Em seguida, a jovem disse que ambos decidiram retornar para o outro lado da rua. Nesse momento, ela conta que o agressor começou a gritar com eles e, na sequência, viu Arthur e o homem se agredindo. Depois, ouviu o criminoso afirmar que o músico iria morrer e desferiu golpes de faca contra o jovem.

Ainda de acordo com o documento policial, a mulher disse que a vítima ficou caída na rua e o autor do crime saindo correndo com o tantan (instrumento de percussão) que estava com o músico.

Imagens de câmeras de segurança da região flagraram o momento em que Arthur cai na via após ser esfaqueado. Na sequência, é possível ver a jovem que estava com ele aparentemente tentando pedir ajuda para carros que passam pelo local.

Outras câmeras do bairro flagraram o autor do crime passando por ruas da região carregando a mala com o tantan nas costas por volta das 2h30, logo após o crime. Ele aparece de camiseta escura, blusa de frio amarela, calça e chinelos. Até o momento não há informações sobre a localização do homem e do instrumento musical levado.

O caso foi registrado pelo 11º DP, mas é investigado pelo 99º DP (Campo Grande), responsável pela região.

O velório e enterro do percussionista aconteceram nesta terça (25), no Cemitério Campo Grande. A despedida reuniu dezenas de pessoas, entre familiares e amigos do músico.

De acordo com Assuero Caetano, empresário do grupo, há pouco mais de um mês Arthur tinha decidido se afastar do conjunto após descobrir que a mãe estava com câncer. Na segunda-feira, um músico contratado tocaria em seu lugar, mas ele subiu ao palco para participar da gravação do DVD musical. "Jamais vou esquecer o brilho no olhar dele quando me abraçou e me beijou duas horas antes de ser assassinado", afirmou Caetano.

Em um vídeo gravado no camarim horas antes de morrer, o jovem falou sobre o lançamento do DVD. "Temos que dar o nosso melhor e aproveitar desse momento, porque a gente nunca sabe o que vai acontecer amanhã", disse na gravação.

O Grupo Sambará publicou em suas redes sociais notas de pesar, lamentando a perda do integrante. "Irmão, vamos continuar o seu legado. Precisamos muito da sua força aí de cima e de vocês que acompanham a gente aqui. Você deve estar muito feliz com o pessoal dando essa força pra gente. Deus, entregamos tudo em suas mãos!", escreveu o grupo no Instagram

Diversos artistas famosos lamentaram a morte do músico. "Meus sinceros sentimentos a esse jovem tão talentoso que perdeu a vida de uma forma tão cruel", disse o cantor Latino em vídeo postado na rede social do empresário do grupo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos