‘Perdi parte de mim’: ex-jogador e melhor amigo de Pelé lamenta morte do Rei

O ex-jogador e melhor amigo do Rei Pelé, Manoel Maria, comentou ter perdido uma parte de si com a morte de seu companheiro de mais cinco décadas. O maior atleta de futebol da história faleceu nesta quinta-feira, aos 82 anos, por conta de uma falência múltipla dos órgãos em decorrência de um câncer de cólon.

– Eu estou muito triste, perdi parte de mim, um irmão. Foram 54 anos de amizade. A gente sente (falta) da convivência. – afirmou Manoel, em entrevista ao Globo.

O "Mamá", como era chamado por Pelé, acompanhou a jornada do Rei no hospital e esteve no Hospital Israelita Albert Einstein no dia 15 de dezembro - onde teve o último contato com o maior jogador de todos os tempos.

Manoel Maria falou sobre Pelé ter sido o criador do status que a camisa 10 ganhou no mundo. Na atualidade, geralmente o número é usado por um dos jogadores mais qualificados tecnicamente do time.

– Ele criou a camisa 10 como conhecemos hoje. O melhor jogador de cada time usa a camisa dele, é a 10, foi ele quem criou a posição entre o meio de campo adversário e a defesa quando jogava ali - ele não era centroavante. Hoje os melhores jogadores jogam nessa faixa do campo. Não é só no Brasil, eu acho que o futebol mundial está de luto. A cidade de Santos está chorando – Afirmou o ex-jogador.

O amigo íntimo de Pelé colecionou momentos e memórias ao lado do Rei. Além de ter jogado com ele no New York Cosmos, Manoel Maria conviveu por mais cinco décadas com os próprios familiares do maior jogador do mundo e afirmou ter ficado feliz com o apoio da família nessas últimas semanas: “Eu fiquei feliz que os netos foram visitá-lo”.

Aos 82 anos, o Rei do futebol morreu nesta quinta-feira por conta de uma falência múltipla dos órgãos em decorrência do avanço do câncer de cólon que ele tratava desde 2021