Perfil de Bolsonaro em rede social sinaliza apoio a comentário que ofende primeira-dama da França

***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 01.08.2019 - O presidente Jair Bolsonaro durante coletiva no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

O perfil do presidente Jair Bolsonaro em uma rede social endossou no sábado (24) comentário ofensivo à primeira-dama da França, Brigitte Macron.

Ao comentar um post do mandatário brasileiro em sua página no Facebook, o seguidor Rodrigo Andreaça escreveu "É inveja presidente do macron pode crê" (sic), postando também uma imagem. Na gravura se vê uma foto de Bolsonaro e de sua esposa, Michelle Bolsonaro, abaixo de um retrato de Macron e de sua mulher, Brigitte Macron. Ao lado das fotos dos casais, há os dizeres: "Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?" (sic).

Leia também:

O perfil de Bolsonaro respondeu a Andreaça: "não humilha cara. Kkkkkkk" (sic), dando a entender que as recentes críticas de Macron ao presidente brasileiro seriam motivadas por inveja da esposa do brasileiro.

Bolsonaro está em meio a uma guerra diplomática com o presidente francês em função dos recentes incêndios na Amazônia.

O governo da França disse na sexta-feira (23) que o brasileiro mentiu ao assumir compromissos em defesa do ambiente na cúpula do G20, em junho, e que isso inviabiliza a ratificação do acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul, concluído no mesmo mês.

Bolsonaro rebateu Macron, acusando-o de tentar potencializar o ódio contra o Brasil. O brasileiro lembrou que Macron divulgou em uma rede social uma imagem de um incêndio na floresta amazônica que, na verdade, foi feita por um fotógrafo morto em 2003.

"Lamento a posição de um chefe de Estado, como o da França, se dirigir ao presidente brasileiro como mentiroso. Não somos nós que divulgamos fotos do século passado para potencializar o ódio contra o Brasil por mera vaidade. Nosso país, verde e amarelo, mora no coração de todo o mundo", disse Bolsonaro.

Além disso, seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, replicou um vídeo no qual um youtuber chama o presidente Macron de "idiota". O tuíte de Eduardo, cotado para assumir a embaixada do Brasil em Washington, foi considerado uma grosseria sem precedentes.

Este é o segundo episódio de desavença com o governo francês em menos de dois meses. Em julho, Bolsonaro cancelou em cima da hora uma reunião com o chanceler da França, Jean-Yves Le Drian, e fez uma live cortando o cabelo no horário em que estaria reunido com o diplomata.