Perspectiva de encolhimento do PSB em SP contribui para receio do PT com aliança

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A perspectiva de encolhimento da bancada do PSB na Assembleia Legislativa de São Paulo também contribui para o esfriamento da aproximação entre a sigla e o PT para formação de chapa com Lula e Geraldo Alckmin e para criação de uma federação partidária.

Dos seis deputados estaduais do PSB em São Paulo, apenas dois devem permanecer no partido para disputar as eleições de 2022: Caio França, filho do ex-governador Márcio França, e Rafael Silva, pai do deputado federal Ricardo Silva.

Barros Munhoz, Carlos Cezar, Roberto Engler e Vinícius Camarinha (que foi suspenso do partido após se tornar líder do governo João Doria na Alesp) têm sinalizado que buscarão outros caminhos.

O PSB quer o apoio do PT às candidaturas aos governos de Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Acre e São Paulo, onde o PT pretende lançar Fernando Haddad.

Petistas dizem, em tom de brincadeira, que o dote da noiva está fraco em São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos