Perto dos 40 anos, publicitário se rende à sua verdadeira vocação e se torna artista visual

·3 minuto de leitura

RIO — Artista visual profissional há menos de um ano, o morador Jonas Tikerpe Motta, de 39 anos, entrou no universo dos desenhos aos 13. Na época, praticava surfe e começou a rabiscar no papel elementos do mar e da modalidade, como ondas, pranchas e surfistas. Gostava também de desenhar super-heróis. Na vida adulta, porém, a vocação ficou adormecida até pouco tempo atrás. No fim de 2020, após sair de uma empresa onde trabalhava na área administrativa, resolveu se dedicar apenas à arte.

— Desde criança, sempre desenhei muito, praticamente todos os dias. Ao longo da vida, acabei tomando outros gostos e me afastando, mas o lado criativo me acompanhou. Há dois anos e meio, minha namorada me presenteou com uns cadernos de desenho e umas canetas, depois de eu comentar com ela que gostava muito de desenhar quando era moleque. Desde então, retomei o interesse. Comecei a observar muita gente fazendo mandalas na parede e passei a fazer também. Inicialmente, de graça, na casa de amigos, para pegar experiência. Criei um perfil no Instagram para postar meus trabalhos e, como tive um ótimo retorno do público, passei a viver só disso a partir do fim do ano passado — conta Jonas.

Formado em Publicidade e pós-graduado em Design de Moda, Tikerpe manteve, de 2007 a 2012, uma marca de camisetas que levava seu sobrenome, para a qual ele próprio desenhava as estampas, uasndo um programa de computador. Ele conta que não tem nenhuma formação específica em artes visuais: suas habilidades foram adquiridas e aprimoradas na prática. Gosta de trabalhar com degradê de cores, e suas pinturas costumam incluir elementos botânicos mesclados com formas geométricas. Na Barra da Tijuca, bairro onde mora, já fez um mural na Rua Carlos Costa, ao lado do número 20. O trabalho mais recente foi concluído na última quinta-feira, no muro de um condomínio da Avenida Erico Verissimo.

Primeiro, a parede recebeu tinta branca, que fez parte também da composição do fundo da arte. A pintura foi feita com as cores laranja, azul e preto:

— Minha intenção, ao fazer esse tipo de arte, é deixar o ambiente interno ou externo mais bonito. Gosto de usar cores relacionadas ao amanhecer e ao entardecer, como o laranja. O nascer e o pôr do sol me chamam muito a atenção.

Tikerpe explica que faz pinturas em residências, sob encomenda, mas é deixando seu traço em muros, nas ruas, que se realiza.

— Meu retorno financeiro vem de trabalhos em casas e apartamentos, até porque, desde o início da pandemia, tem havido aumento da procura por serviços de decoração em imóveis. Mas eu gosto mais de trabalhar na rua, por poder criar livremente e incluir ideias novas. Acho perfeito conciliar os dois: meu sustento e minha arte ao ar livre, que é uma forma de divulgação também — afirma Tikerpe.

O artista também faz quadros. Seus trabalhos podem ser vistos no perfil do Instagram @visu.desenhos e no site visu.art.br.

— Os quadros, eu faço por encomenda. Peço para o cliente me passar alguma referência, faço o projeto e, em seguida, crio direto na tela — conta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos