Peru confirma presença da variante brasileira do coronavírus

·1 minuto de leitura
Médico visita paciente com covid-19, em casa, na periferia de Lima, em meio ao aumento de casos no Peru

O Peru informou nesta quinta-feira (4) ter detectado a presença da variante brasileira do coronavírus em três regiões, incluindo Lima.

"Em nosso país, em Loreto, Huánuco e em parte de Lima, a variante brasileira foi encontrada", disse a ministra da Saúde, Pilar Mazzetti.

“Portanto, temos neste momento duas variantes: a britânica (detectada em 8 de janeiro em Lima) e a brasileira”, acrescentou a ministra em declaração no Congresso peruano. Ambas são mais agressivas, segundo especialistas.

A presença da variante brasileira explica porque as infecções por covid-19 aumentaram rapidamente nas últimas semanas no Peru, apontou Mazzetti.

Loreto, cuja capital é a cidade de Iquitos, é a remota e extensa região de selva peruana onde nasce o rio Amazonas. Ela faz fronteira com o Brasil, além da Colômbia e do Equador.

O Peru e o Brasil compartilham 2.800 km de fronteira na Amazônia. Os voos entre os dois países foram suspensos pelo governo peruano em 26 de janeiro.

Mazzetti não especificou a quantidade de pacientes com a cepa brasileira no Peru, onde a quarentena obrigatória está em vigor desde domingo nas regiões mais afetadas pela segunda onda da pandemia, incluindo Lima.

Huánuco não faz fronteira com o Brasil, embora esteja na selva peruana central, na encosta leste dos Andes, 350 km a nordeste de Lima.

Em Loreto, há 225 pacientes hospitalizados com covid-19, incluindo 36 em terapia intensiva, de acordo com a imprensa local. As autoridades de saúde locais sugeriram fechar a fronteira para evitar a entrada de pessoas infectadas.

O país andino, que enfrenta escassez de oxigênio para pacientes com covid-19, acumula 1.158.337 infecções e 41.538 mortes, segundo dados oficiais.

fj/cm/tly/ic/mvv