Peru suspende voos vindos da Europa enquanto casos de coronavírus chegam a quase 1 milhão

·2 minuto de leitura

LIMA (Reuters) - O governo peruano suspendeu os voos vindos da Europa por duas semanas e colocou suas autoridades de Saúde e de Viagem em alerta máximo para prevenir a entrada de uma nova variedade do coronavírus que foi identificada no Reino Unido, afirmou o presidente Francisco Sagasti nesta segunda-feira.

Sagasti afirmou que nenhum voo direto do Reino Unido chegou ao país desde 15 de dezembro, quando foram reiniciados os voos da Europa. Mas as autoridades de Saúde estavam monitorando os passageiros do Reino Unido que haviam entrado no país por outros voos de conexão, disse o presidente.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse na semana passada que uma nova cepa do coronavírus levou a uma disparada no número de infecções, levando países de todo o mundo a suspenderem voos partindo e com destino ao Reino Unido.

O anúncio acontece enquanto o Peru, fortemente atingido pela pandemia, se aproxima da marca de um milhão de casos de Covid-19, em meio a crescentes preocupações com uma segunda onda do vírus após as festas de final de ano.

As autoridades sanitárias do Peru proibiram o uso de veículos particulares nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, assim como no Dia de Ano Novo para reduzir o movimento, e recomendaram que peruanos não visitem familiares durante as festas.

Além de suspender voos vindos do Reino Unido, o Peru também proibiu na segunda-feira a entrada de estrangeiros não-residentes que estiveram no Reino Unido nas últimas duas semanas. Peruanos ou não residentes que já estejam no país e tenham visitado o Reino Unido também serão requisitados a passarem um período de 14 dias em isolamento.

Os casos de coronavírus no Peru chegaram a 997.517 no domingo, com 37.103 mortos pela doença no país, de acordo com dados oficiais.

(Reportagem de Marco Aquino)