Peru vacina indígenas das ilhas do Lago Titicaca contra a covid-19

·2 minuto de leitura
Profissionais de saúde são transportados para as ilhas dos Uros para vacinar seus habitantes com uma dose do medicamento Sinopharm contra covid, no Lago Titicaca, Puno, Peru, em 7 de julho de 2021

O Peru iniciou na quarta-feira (7) a vacinação contra a covid-19 em centenas de indígenas que vivem nas Ilhas Flutuantes de Uros, no Lago Titicaca, na região andina de Puno, fronteira com a Bolívia.

Locomovendo-se em pequenos barcos pelo Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo - a 3.800 metros acima do nível do mar -, brigadistas em trajes de biossegurança chegaram com doses da vacina anticovid chinesa Sinopharm à ilha chamada Janq'u Laqa - "terra branca" em aimara - para inocular os maiores de 60 anos da etnia uru.

"Como enfermeira, estou muito satisfeita por ter vindo a esta ilha de Uros. É longe, mas chegamos para que todos tenham acesso à vacinação", disse Densy Suasaca à AFP.

Os aldeões, usando seus chapéus e trajes tradicionais, receberam assim a primeira dose da vacina contra o coronavírus.

Na região de Puno, 35.600 casos de covid e mais de 3.700 mortes foram registradas desde o início da pandemia, em março de 2020, de acordo com o Ministério da Saúde.

As Ilhas Flutuantes de Uros são um conjunto de superfícies artificiais habitáveis construídas com totora, uma planta aquática que cresce na superfície do lago.

"Estamos em Uros, no coração do Lago Titicaca, onde o Estado se aproximou dos povos originários", disse à AFP a gestora intercultural de Uros, Rita Suaña.

"Hoje a vacinação contra a covid é feita onde há uma população interessada em poder adquirir essas vacinas", acrescentou Suaña.

A campanha nas ilhas lacustres, denominada "Vacina Lago", terá a duração de vários dias para vacinar uma população de mais de 500 pessoas.

A vice-ministra de Interculturalidade do Ministério da Cultura, Ângela Acevedo, que viajou de Lima às ilhas, disse que o governo espera vacinar um total de 55 povos indígenas do Peru, que representam cerca de 5,5 milhões de pessoas.

“Não é apenas uma campanha contra a covid-19, mas também uma campanha de saúde para tornar mais completa a intervenção do Estado”, disse Acevedo.

Cerca de 3,6 milhões de habitantes do Peru receberam as duas doses da vacina contra covid-19, em uma população de 33 milhões de pessoas.

A pandemia devastou o sistema de saúde peruano, causando 193.500 mortes e tornando-o um dos países com maior taxa de mortalidade global (592 mortes por 100.000 habitantes). As infecções ultrapassam dois milhões.

cm/ljc/rsr/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos