'Do pesadelo à luz': jornais franceses repercutem goleada francesa na Copa

Após a goleada de 4 a 1 da França em jogo contra a Austrália em sua estreia na Copa do Mundo do Catar, os jornais franceses repercutiram a virada que deu a liderança do grupo D para seleção. Para o "Le Parisien", a seleção de Kylian Mbappé foi "do pesadelo à luz" nos primeiros minutos, que refletiram os últimos seis meses da equipe até o resultado favorável do jogo.

Tabela da Copa: Confira datas, jogos e resultados do Mundial do Catar

Simulador do GLOBO: Decida o que vai acontecer em cada fase da Copa do Mundo

Entenda: Hostilidade de muçulmanos em relação aos homossexuais tem pouca base no Alcorão

"Os primeiros minutos prolongaram o calvário dos últimos seis meses com uma equipa arrasada, perdendo mais um jogador num duelo (Lucas Hernandez, provavelmente fora da Copa) anêmicos na luta, na rua, em tudo, com Benjamin Pavard em todos os lugares, exceto aqui, em Doha. E então a bela história surgiu, um pouco do nada, após cerca de 20 minutos de tormento", disse o jornal.

O veículo chamou o jogo de "prova de vida" e também lembrou a euforia com que a noite terminou: com a vitória da seleção francesa e os dois recordes de Olivier Giroud, de 36 anos, que passou Zidane como o jogador mais velho a marcar pela França em Copas do Mundo e igualou-se a Thierry Henry ao marcar seu 51º gol.

"A seleção francesa deu uma sensacional prova de vida na noite desta terça-feira, 22 de novembro, no Catar, somou dois pontos à frente de Dinamarca e Tunísia e se livrou de uma noite que começou como o apocalipse e terminou com a euforia de um recorde igualado a Thierry Henry por Olivier Giroud", afirmou o "Le Parisien".

Já o jornal "L' Équipe" lembrou o "susto" que a França levou em 2018, também contra a Austrália. O veículo atribuiu a virada ao jogo violento por parte dos franceses.

"Assim como em Kazan em 2018 (2 a 1) , os franceses levaram um susto contra a Austrália. Mas, como há quatro anos na Rússia, os campeões mundiais entraram com sucesso na competição (4-1) na terça-feira. Diante dos australianos que jogavam com ousadia e sorte, a seleção da França fez violência para reverter uma situação que começou mal depois de Craig Goodwin (9º) abrir o placar", escreveu o "L' Équipe".

Copa do Mundo: Mbappé comemora união do time e deseja força para Lucas Hernandez após goleada contra Austrália

Análise: França assusta com repertório ofensivo vasto que remete a trunfos de Tite

O veículo destacou a atuação de Adrien Rabiot e do artilheiro Olivier Giroud. Rabiot, segundo o "L' Équipe", soube liderar a equipe com responsabilidade para alcançar a vitória.

"Na ausência de Paul Pogba e N'Golo Kanté, Adrien Rabiot assumiu a responsabilidade. Sólido na recuperação ao lado de Tchouaméni, o médio da Juventus (27 anos, 30 internacionalizações) foi sobretudo decisivo por duas vezes na primeira parte, para recolocar os "blues", então liderados, no bom caminho", afirmou o jornal francês.