Pescadores e ambientalistas farão nova barqueata pela despoluição do complexo lagunar de Jacarepaguá

·2 minuto de leitura

RIO —A Associação de Pescadores do Canal do Anil e o movimento Baía Viva farão neste sábado (11), às 9h, com saída do Canal do Anil, sua terceira barqueata em defesa do saneamento ambiental do Complexo Lagunar de Jacarepaguá.

— A ausência de saneamento básico nesta região, que é uma das mais populosas do Rio de Janeiro, é o principal fator de poluição e degradação de lagoas e praias, que são atrativos e ativos ambientais estratégicos da economia do turismo na cidade. Entre os benefícios esperados pelas intervenções e obras de saneamento, que precisam sair da promessa e serem de fato executadas, é preciso destacar a recuperação da saúde ambiental das lagoas, a melhoria das condições de vida da população local, o resgate de usos de lazer e da prática de esportes, a conservação de espécies de animais e da avifauna e a melhoria da balneabilidade das praias da Barra da Tijuca — diz Sérgio Ricardo Potiguara, coordenador do Baía Viva. — O objetivo da III Barqueta pelo Saneamento é mobilizar a sociedade civil e o Ministério Público para que tanto os termos do TAC de 2019 quanto o contrato de concessão assinado este ano pelo Consórcio Iguá (para explorar o fornecimento de água e garantir o saneamento na região) resultem em ações concretas

A primeira barqueata organizada pelo Baía viva ocorreu em maio de 2018 e teve a participação de cerca de 400 pessoas e de dezenas de embarcações. O objetivo foi a retomada das obras de saneamento básico das lagoas do Complexo Lagunar de Jacarepaguá e da Barra da Tijuca. No final de 2019, foi firmado um Temo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Ministério Público, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Cedae, no qual foram acordadas metas para a retomada dos investimentos em saneamento básico na região.

A segunda barqueata foi realizada este ano, em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, com o objetivo de cobrar os investimentos previstos no TAC de 2019 e exigir a divulgação pública de um cronograma de execução das obras prometidas para o Complexo Lagunar de Jacarepaguá.

O leilão da Cedae, em abril último, traz nova esperança de recuperação das lagoas: o Consórcio Iguá, vencedor do Bloco 2, que engloba a área da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá e mais dois municípios, assumiu o compromisso de investir cerca de R$ 250 milhões na recuperação das lagoas da região.

*Estagiário,sob supervisão de Lilian Fernandes

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos