Pesquisa aponta que internet no Brasil custa sete vezes mais que nos EUA

No quesito internet móvel, o Brasil ficou em 71º lugar. Na categoria de qualidade de conexão, o país está em 33º lugar (Getty Creative)
No quesito internet móvel, o Brasil ficou em 71º lugar. Na categoria de qualidade de conexão, o país está em 33º lugar (Getty Creative)
  • Internet no Brasil custa sete vezes mais que nos Estados Unidos;

  • Um trabalhador brasileiro, que ganha um salário mínimo, precisa trabalhar por 399 minutos para contratar um plano de internet banda larga mais barato;

  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad C) apontou que 28,2 milhões de pessoas no Brasil não usaram a internet no ano passado.

Uma pesquisa chamada de Digital Quality of Life 2022 e promovida pela empresa de cibersegurança holandesa Surfshark levantou que a internet no Brasil custa sete vezes mais que nos Estados Unidos.

De acordo com o portal Tecmundo, os pesquisadores chegaram a essa conclusão após concluírem que um trabalhador brasileiro, que ganha um salário mínimo, precisa trabalhar por 399 minutos para contratar um plano de internet banda larga mais barato, enquanto nos EUA bastam 57 minutos para ter acesso a uma conexão rápida e estável.

O estudo também considerou outras questões, como a qualidade da banda larga, onde o Brasil ocupou a 81ª posição em um ranking que tem a Armênia como primeiro colocado. No quesito internet móvel, o Brasil ficou em 71º lugar. Por fim, na categoria de qualidade de conexão, o país está em 33º lugar.

A pior colocação obtida pelo Brasil foi a de segurança eletrônica (78º lugar).

Internet limitada

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad C), feita no 4º trimestre de 2021 e divulgada na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que 28,2 milhões de pessoas no Brasil não usaram a internet no ano passado. Esse número corresponde a 15,3% da população maior de 10 anos de idade.

A pesquisa também verificou os motivos para não usar a internet. Quase 43% dos entrevistados responderam que era por não saber como utilizá-la. Para 27,7%, faltou interesse em usar; 20,1% alegaram que Serviço de acesso à Internet ou equipamento eletrônico necessário era caro. E por fim, 5,3% responderam que o Serviço de acesso à Internet não estava disponível nos locais que frequentam.

Em junho, uma pesquisa inédita realizada em colaboração pelo Google com a McKinsey mostrou que o Brasil é o quarto país com maior presença online. No entanto, os conhecimento dos brasileiros não foi considerado "sofisticado".