Pesquisa Ipec: para 85%, fake news devem impactar resultado das eleições

Pesquisa Ipec: jovens são os que mais enxergam impacto na disseminação de fake news. (Foto: Bruna Prado/Getty Images)
Pesquisa Ipec: jovens são os que mais enxergam impacto na disseminação de fake news. (Foto: Bruna Prado/Getty Images)
  • Nova pesquisa Ipec foi divulgada nesta segunda-feira (5)

  • Idosos são os que menos checam informações de notícias

  • Maiores de 60 anos são também os que menos veem impacto das fake news

A maior parte dos brasileiros pensa que as fake news terão impacto na eleição deste ano. Foi o que afirmaram 85% dos entrevistados da pesquisa Ipec, divulgada nesta segunda-feira (5).

Outros 12% acham que as notícias falsas não terão reflexo nas urnas, enquanto 3% não souberam responder. Os que veem mais influência das fake news são aqueles com idade entre 16 e 24 anos (91%). Os eleitores com mais de 60 anos são os que menos enxergam impacto das notícias falsas (75%).

Além disso, 33% dos entrevistados afirmam que se deparam “sempre” com fake news. Outros 22% responderam “quase sempre” e 24%, “às vezes”. Os que disseram que vêem “raramente” ou “nunca” são 9% e 8%, respectivamente. Por fim, 4% não souberam responder.

O Ipec quis saber também o que o eleitor faz ao se deparar com uma notícia nova: 43% diz que sempre verifica, enquanto 27% afirma que às vezes verifica e 12%, raramente. Aqueles que nunca verificam somam 15%. Não souberam responder 2% dos entrevistados. Os idosos são os que menos checam as veracidades das informações (26%), segundo o levantamento.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

A nova rodada da pesquisa ouviu 2.512 pessoas entre 2 e 4 de setembro em 158 municípios de todo o Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)