Pesquisa mostra quais são os aplicativos mais usados nas favelas

·1 min de leitura
Favela no Rio de Janeiro
"Favela Conectada" entrevistou 435 pessoas de 12 estados brasileiros

(Getty Images)

  • Estudo revelou quais os aplicativos mais presentes nas favelas brasileiras

  • WhatsApp sai em disparada, presente em 98% dos celulares

  • No quesito lazer, Netflix fica em primeiro lugar 

Um estudo realizado pelo Outdoor Social Inteligência revelou quais são os principais aplicativos usados pelos moradores de favelas em 12 estados brasileiros. Presente em 98% dos celulares, o WhatsApp foi apontado como o líder absoluto.

Em seguida, aparece o Facebook, com 85%, e Instagram, com 72%. Entre as plataformas mais recentes, destacam-se o TikTok (26%) e Kwai (20%). De acordo com o “Favela Conectada”, as redes sociais, no geral, são usadas por 47% das pessoas, especialmente jovens de 18 a 34 anos, enquanto 62% consomem notícias online.

Leia também:

No entanto, os celulares têm deixado de serem usados para ligações, já que cerca de 46% dos entrevistados que estão cursando o Ensino Médio afirmaram que preferem realizar chamadas por meio de aplicativos. As informações foram divulgadas pelo TecMundo.

Gasto médio com streaming é de R$ 51

Quando o assunto é lazer, a Netflix sai em disparada na preferência, estando presente em 75% das respostas. Youtube Premium (33%), Amazon Prime Video (27%), Globoplay (23%) e Disney+ (7%) completam o ranking dos mais utilizados.

Ainda assim, os fãs de séries perdem para os 57% que gostam de assistir a novelas ou telejornais. Esse fator faz com que os canais de televisão ainda sejam bastante populares nas favelas, sendo consumidos por mais da metade da população.

Com relação aos streamings de música, Spotify lidera, seguido por Youtube Music, Deezer e Apple Music. Mas diferentemente dos streamings de filmes e séries, 77% dos entrevistados usam as versões gratuitas dos serviços.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos