Pesquisa mostra que a maioria das pessoas não se importa se sua celebridade favorita fuma maconha

Wiz Khalifa, Miley Cyrus, and Rihanna are vocal about their support for weed. (Illustration: Instagram/FilmMagic/Danny Miller/Yahoo Celebrity

Quando Woody Harrelson revelou que havia parado de fumar maconha, a notícia chamou a atenção de todos. Afinal, o ator de ‘Jogos Vorazes’ é conhecido como um dos maiores apoiadores da erva em Hollywood, fazendo parte do conselho consultivo da Organização Nacional para a Reforma das Leis da Maconha, juntamente com Willie Nelson, há anos. Ele inclusive tentou abrir seu próprio dispensário legal de maconha no Havaí, em 2016.

“Eu parei de fumar maconha quase um ano atrás,” disse ele, recentemente, à Vulture, acrescentando que ainda a considerava uma “ótima” droga.

Então, por que Harrelson resolveu abandoná-la?

“Foram 30 anos contínuos de festas intensas demais,” disse ele.

Embora tenha sido surpreendente, o anúncio provavelmente não afetou a percepção que a maioria das pessoas tem em relação ao ator. Uma pesquisa exclusiva realizada pelo Yahoo News/Marist Poll descobriu que a maioria dos norte-americanos – 74% – não se importa se sua celebridade favorita fuma maconha ou não. A maioria dos entrevistados também não tem problemas com celebridades que apoiam publicamente a legalização da droga. Cerca de 56% aprovam este comportamento, enquanto 38% o recriminam.

Os dados fazem parte de um novo relatório especial do Yahoo News que discute o assunto “A maconha e a família norte-americana”. A pesquisa conduzida pela Marist Poll envolveu entrevistas com 1.122 adultos maiores de 18 anos pelo celular ou por linhas fixas de telefone, na parte continental dos Estados Unidos, entre o dia 1º e 7 de março.

De acordo com os resultados, a maior parte dos norte-americanos não critica celebridades que usam maconha porque muitos deles também já experimentaram a droga. 52% dos adultos com mais de 18 anos experimentaram a maconha pelo menos uma vez, e 44% dos que a experimentaram a usam atualmente.

Ainda assim, mais de 1 em 5 norte-americanos (22%) dizem que teriam menos respeito por sua celebridade preferida se descobrissem que ele ou ela usa maconha em sua vida pessoal. (Vale ressaltar que as pessoas têm uma probabilidade maior de criticar atletas pelo uso da droga; quase 3 em cada 10 pessoas, ou 28% dos entrevistados, dizem que a forma como veem seus atletas profissionais favoritos seria afetada negativamente caso eles usassem maconha com fins recreativos. Ao mesmo tempo quase sete em cada 10 norte-americanos, 69%, aprovam que estes atletas usem a droga para aliviar a dor).

Os Estados Unidos avançaram muito desde quando Bill Clinton (na época candidato à presidência) disse que “não inalou”. Hoje, oito estados e Washington, D.C. legalizaram a maconha para fins recreativos, enquanto mais da metade do país legalizou seu uso medicinal. Não é de se espantar que celebridades incluindo Wiz Khalifa, Whoopi Goldberg, e Melissa Etheridge tenham entrado na febre da cannabis, lançando suas próprias marcas de maconha.

Também não é surpreendente que ninguém tenha se importado quando Miley Cyrus deu uma festa temática de maconha para o noivo Liam Hemsworth e a irmã mais nova Noah, em janeiro, incluindo um bar de maconha para os convidados, estocado com a erva da marca de Snoop Dogg, Mary Jane. (Em novembro de 2013, Cyrus também acendeu um baseado no palco enquanto aceitava um prêmio no MTV Europe Music Awards, cerca de três meses depois de ter dançado de forma perturbadora com Robin Thicke ao som do sucesso ‘Blurred Lines’ no VMAs. As pessoas ficaram muito mais desconcertadas com a performance musical).

Snoop, que tem um site de estilo de vida para usuários de maconha, disse: “Há certas coisas que a maconha faz, que podem ajudar a comunidade, se você estruturar tudo da forma correta”.

Susan Sarandon, outra defensora da erva, ressalta os seus benefícios medicinais. A pesquisa do Yahoo News/Marist Poll indicou que 83% dos norte-americanos apoiam a legalização da maconha para fins medicinais.

“É absurdo que mais estados não a tenham legalizado,” disse Sarandon na edição de agosto de 2015 da publicação pró-maconha High Times. “Ela pode ser uma fonte importante de receitas. Você vê os relatórios mostrando que crianças que têm convulsões podem preveni-las com a maconha medicinal. Você vê o alívio que ela pode dar a veteranos de guerra. … Também é uma forma agradável de socializar e estar com as pessoas – e estar com você mesmo, além de reduzir o estresse”.

Até Harrelson, na mesma entrevista em que admitiu ter alterado seus hábitos, continuou a falar bem da maconha.

“Eu não tenho problema algum com ela,” disse ele. “Eu acho que é ótimo. Eu acho que é uma ótima droga”.

Claramente muitos dos fãs de Harrelson concordam com ele – ou pelo menos não discordam tanto a ponto de não assistir aos seus filmes.