Pesquisa mostra que três a cada dez PMs pretendem ir a atos a favor de Bolsonaro

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — Uma pesquisa do Instituto Atlas Intelligence mostra que 30% dos policiais militares entrevistados pretendem ir "com certeza" aos protestos desta terça-feira a favor do presidente Jair Bolsonaro e contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

O instituto chegou à conclusão após analisar respostas de 3.146 pessoas (511 deles se declararam policiais militares, civis e federais), que preencheram um questionário online entre 30 de agosto e o último sábado. OS pesquisadores separaram as respostas dadas por policiais daquelas da população em geral.

Os regulamentos das Polícias Militares proíbem a participação de agentes da ativa em atos políticos. Como mostrou o GLOBO no sábado, ao menos oito estados se comprometem a punir integrantes das tropas que participem das manifestações.

Em relação à presença nos atos, 44% dos policiais militares disseram que não pretendem ir às manifestações; 15% afirmaram que provavelmente não irão; 5% que "talvez" participarão e outros 6% não souberam responder.

Quando a mesma pergunta foi feita à população em geral, com outras profissões, 25% responderam que vão às ruas apoiar Bolsonaro com certeza e 47% disseram que não pretendem participar do ato.

A pesquisa ainda questionou se os entrevistados acham que policiais devem ter permissão para participar das manifestações do dia 7. Entre os PMs, 40 responderam que sim e 47% disseram que não. Na população geral, o resultado foi 36% a 46%, respectivamente.

Um levantamento feito pelo mesmo instituto em abril e publicado pela revista Época mostrou que 71% dos PMs declararam ter votado em Bolsonaro em 2018, e, desse total, 81% disseram que continuavam contentes com a opção de fizeram. Apenas 17% afirmaram ter se arrependido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos