Pesquisadores acham fósseis de réptil gigante que pesava 80 toneladas

Fósseis encontrados são de ictiossauros, que parecem golfinhos, mas gigantes (Foto: Jeannet Ruegg / Henz Furrer / Universidade de Zurique)
Fósseis encontrados são de ictiossauros, que parecem golfinhos, mas gigantes (Foto: Jeannet Ruegg / Henz Furrer / Universidade de Zurique)

Resumo da notícia

  • Cientistas encontraram fósseis de ictiossauros

  • Animais extintos há milhões de anos eram répteis marinhos

  • Fósseis foram encontrados a 2.800 metros de altitude, nos Alpes suíços

Pesquisadores encontraram fósseis de répteis marinhos gigantes, já extintos, que chegavam a pesar 80 toneladas e ter 20 metros de comprimento. O espécime, conhecido como ictiossauro, era como um híbrido entre lagarto e peixe.

A descoberta foi publicada no Journal of Vertebrate Paleontology na última quinta-feira (28). Foram encontrados fósseis de três ictiossauros, que, apesar de serem répteis marinhos, estavam em regiões dos Alpes suíços, a 2.800 metros de altitude.

Segundo a publicação, os animais teriam aparecido no oceano há cerca de 250 milhões de anos e o formato deles era similar a de golfinhos, com cabeças pequenas e corpos mais longos.

Os ictiossauros foram extintos no Permiano, último período da era paleozoica. Foi neste momento em que 95% dos espécimes marinhos foram eliminadas da terra. Os fósseis desta espécie são considerados raros.

Foram encontrados fósseis de três ictiossauros diferentes, um com 20 metros de comprimento e outro com 15. Além disso, os pesquisadores também acharam o maior dente de ictiossauro já visto.

“Isso é enorme para os padrões dos ictiossauros: sua raiz tinha 60 milímetros de diâmetro – o maior espécime ainda em um crânio completo até hoje tinha 20 milímetros e veio de um ictiossauro que tinha quase 18 metros de comprimento”, explicou P. Martin Sander, professor de paleontologia de vertebrados da Universidade de Bonn, na Alemanha, principal autor do estudo.

Como fósseis chegaram as Alpes suíços

Coautor do estudo, Heinz Furrer, curador aposentado do Instituto e Museu Paleontológico da Universidade de Zurique, explicou que o grupo acredita que os grandes ictiossauros seguiram cardumes de peixes na lagoa e morreram lá. A lagoa, há cerca de 200 milhões de anos, era formada do que são agora os Alpes.

A formação da região montanhosa começou 95 milhões de anos atrás, com a movimentação de placas tectónicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos