Hondurenhos que forem ao exterior deverão ter vacina contra febre amarela

Tegucigalpa, 26 mar (EFE).- Os hondurenhos que viajarem ao exterior deverão se vacinar contra a febre amarela para evitar contrair a doença, que reapareceu no Brasil e que causou 114 mortes este ano, disse neste domingo o chefe de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Honduras, Bredy Lara.

Segundo ele, as autoridades hondurenhas consideram ser importante tomar medidas para evitar a entrada da enfermidade no país. Conforme ressaltou, o último caso registrado em Honduras foi em 1940. De acordo com o chefe do departamento, casos de febre amarela também estariam aumentando na Bolívia, na Colômbia e no Equador.

A Secretaria de Saúde solicitou que as autoridades dos aeroportos do país exijam dos passageiros a carteira de vacinação atualizada e que a proteção tenha uma vigência efetiva de pelo menos dez dias antes da viagem.

A medida foi tomada atendendo recomendações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPS). De acordo com Bredy Lara, há 20 anos, o governo vem controlando a entrada da doença e, por isso, a vacina está disponível em todos os departamentos do país. EFE