Pesquisadores descobrem réptil voador que comia crustáceos

RIO - Uma equipe internacional de pesquisadores anunciou esta sexta-feira a descoberta de uma nova espécie de pterossauro, que recebeu o nome de Mimodactylus libanensis. A espécie teria vivido há cerca de 95 milhões de anos, no Período Cenomaniano.

A espécie foi batizada em homenagem à localidade onde se encontra o seu material — o Mineral Museu, na Universidade de Beirute, no Líbano. À época em que viveu, a África e a Península Arábica formavam o mesmo continente, com uma série de ilhas.

A M. libanensis é uma espécie pequena — tinha 1,32 metro de comprimento de uma ponta a outra das asas. Seu focinho era comparativamente largo e os dentes, espaçados e pontiagudos.

— A asa desta espécie é comprida em relação ao resto do corpo, sugerindo que ela conseguia fazer altos voos entre as ilhas — explica Alexander Kellner, diretor do Museu Nacional e primeiro autor do artigo. — Sua estrutura óssea é propícia para a alimentação de crustáceos, o que é muito incomum. A maioria dos pterossauros come insetos ou peixes.