‘Pessoas já duvidaram da possibilidade de eu ser médica’, diz obstetra personagem de 'Falas negras', da Globo

·2 min de leitura

RIO — A vida de Fátima Oladejo daria um filme. Filha de um médico nigeriano com uma assistente social brasileira, a médica carioca é ginecologista e obstetra, serviu por 12 anos na Marinha, morou na Antártida, no interior da Bahia e no de Goiás, em Manaus, em São Paulo e em Resende, no Sul Fluminense. Atende com o mesmo carinho mulheres negras, LGBTQIA+ ou acima do peso, que foram vítimas de preconceito em outros consultórios.

— Eu me proponho a cuidar de mulheres, independentemente de raça, religião, classe social, orientação sexual. Acolher quem não se sente bem em outros lugares e que não ia mais ao médico por ter sofrido algum tipo de violência — conta a moradora do Flamengo, que atende em Madureira e na Barra.

E não é que a trajetória dela deu um filme mesmo? Ou melhor, um especial de TV: Fátima é uma das personagens do “Falas negras”, que vai ao ar na Globo hoje, Dia da Consciência Negra, após a novela das 21h, “Um lugar ao sol”. O programa, que busca reafirmar a luta contra a desigualdade e a discriminação racial, conta a história dela e de outros quatro personagens cujas trajetórias servem de inspiração para suas comunidades.

— Muitas mulheres se identificam, se veem representadas em mim. Sou a prova de que, dadas as devidas oportunidades, temos a mesma capacidade, independentemente de cor, credo e gênero — destaca.

A médica de 38 anos, mãe de Samuel, de 2, se diz “anestesiada” com a iminência de servir como exemplo na TV, para além das fronteiras do seu consultório. E conta que já foi vítima de racismo dezenas de vezes, inclusive em seu ambiente de trabalho:

— Pessoas já duvidaram da minha capacidade, da possibilidade de eu ser médica, mesmo usando um jaleco com o meu nome. Isso me agride. Sei que o racismo não vai acabar tão cedo. Mas desejo muito que a população preta deste país possa ter oportunidade de ascender socialmente, financeira mente, com políticas públicas de qualidade, que deem resultado.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos