Petistas dizem estranhar 'surpresa' de Alckmin com defesa de mudança trabalhista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 19.12.2021 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante jantar beneficente em São Paulo. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 19.12.2021 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante jantar beneficente em São Paulo. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Líderes petistas dizem não entender a aparente surpresa de Geraldo Alckmin com a defesa feita pelo partido da revogação da reforma trabalhista implementada no governo de Michel Temer (MDB).

A reversão das mudanças é pauta do PT praticamente desde que a medida foi aprovada, há cinco anos.

O programa de governo de Fernando Haddad em 2018, por exemplo, já prometia "revogar as medidas de caráter inconstitucional, antinacional ou antipopular editadas pelo atual governo ilegítimo [de Temer]", incluindo nessa lista as mudanças trabalhistas.

"Ao introduzir a terceirização irrestrita, aprovar a reforma trabalhista e impor um cardápio de contratos precários de trabalho, o governo golpista desequilibrou as relações entre capital e trabalho, em favor dos empresários, e precarizou ainda mais o trabalho", dizia o documento

A pauta também foi abordada em outros textos produzidos pelo partido, como o Plano de Reconstrução Nacional, de 2020.

Para dirigentes do PT, o ex-tucano está usando o tema artificialmente para se cacifar na disputa por espaços dentro da eventual chapa com Luiz Inácio Lula da Silva, em que é cotado para vice.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos