Petistas pedem para PGR investigar Bolsonaro por intimidação a servidores da Anvisa

·1 min de leitura
**ARQUIVO**  BRASÍLIA, DF, 22-03-2021 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Raul Spinassé/Folhapress)
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 22-03-2021 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Raul Spinassé/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) e outros petistas entraram com uma representação na PGR (Procuradoria-Geral da República) pedindo abertura de inquérito contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por causa das declarações de intimidação a servidores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A agência virou alvo do presidente mais uma vez, agora por autorizar vacina da Pfizer para crianças, medida que já foi adotada por diversos países desenvolvidos. Bolsonaro disse, na quinta-feira (16), que iria divulgar o nome dos técnicos que aprovaram o uso do imunizante.

"Bolsonaro quer jogar os servidores da Anvisa que respeitam a ciência, aos inquisidores do negacionismo antivacina. As instituições têm obrigação de proteger quem cuida da saúde e quer garantir vacina para as nossas crianças", disse Padilha à reportagem.

Ainda na sexta (17), em resposta à fala do presidente, a Anvisa afirmou, em comunicado, que repudia qualquer ameaça. A agência fez uma referência direta a Bolsonaro no texto. Disse que o ambiente de trabalho do órgão regulador é "isento de pressões internas e avesso a pressões externas".

Em outubro, os cinco diretores da Anvisa foram ameaçados de morte caso ocorresse a aprovação da vacina para crianças. A ameaça foi feita por email.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos