Petróleo fecha em alta em Nova York, a 51,15 dólares o barril

(Arquivo) Plataforma de petróleo no Golfo do México

Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira após a divulgação de dados desfavoráveis sobre a oferta nos Estados Unidos, principalmente com um aumento das reservas semanais de petróleo batendo novo recorde.

O preço do barril de "light sweet crude" (WTI), para entrega em maio subiu 12 centavos, a 51,15 dólares, no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Em Londres, o preço do barril de Brent do Mar do Norte subiu 19 centavos, a 54,36 dólares, no contrato para junho no Intercontinental Exchange (ICE).

Após um começo de sessão otimista, o mercado se desacelerou como consequência de "um relatório desfavorável do Departamento de Energía (DoE) (...) com uma nova alta dos estoques de petróleo", resumiu James Williams de WTRG.

As reservas de petróleo dos Estados Unidos subiram de forma surpreendente da semana passada, batendo outro recorde, informou o Departamento de Energia (DoE) nesta quarta-feira.

Na semana encerrada em 31 de março, as reservas comerciais de petróleo subiram em 1,6 milhão de barris (mb), atingindo 535,5 milhões, um nível não registrado antes. Os analistas da agência Bloomberg esperavam um recuo de 150.000 barris.

Os estoques de gasolina caíram 600.000 barris, menos do que o esperado pelos especialistas da Bloomberg, que estimaram 1,75 mb.

Os produtos destilados tiveram uma queda de 500.000 barris, enquanto a previsão era de um milhão de barris a menos.