Petrópolis aposta em festival gourmet para reaquecer a economia

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil
·2 minuto de leitura

A cidade imperial de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, que recebe mais de dois milhões de visitantes por ano, está se readaptando ao “novo normal” no setor que representa 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do município.

Classificado na categoria A pelo Mapa do Turismo Brasileiro, iniciativa do Ministério do Turismo, e já reaberta para turistas, a cidade opera com a rede hoteleira seguindo regras rígidas, assim como restaurantes e pontos turísticos. O primeiro grande evento da cidade neste período de reabertura é o Petrópolis Gourmet, que conta com a participação de 28 restaurantes, e é uma boa oportunidade de a cidade voltar a ter visitantes que movimentam a economia em R$ 760 milhões todo ano.

Em quase 20 anos de criação, o Petrópolis Gourmet já recebeu mais de 300 mil pessoas e está entre os oito maiores eventos gastronômicos do país. A cidade, que tem um calendário de eventos consolidado e oito mil postos de trabalho diretos no turismo e 32 mil em atividades como comércio e prestadores de serviços, sentiu fortemente o impacto da pandemia que interrompeu um crescimento de 7% do setor em 2019 e agora começa a recuperar a frequência de visitantes.

De acordo com o presidente do Petrópolis Convention & Visitors Gourmet e organizador do festival, Samir El Ghaoui, “a iniciativa é o primeiro evento que acaba envolvendo toda a cidade porque movimenta a rede hoteleira e o comércio. Mantivemos o evento, porque a cidade permitiu esta flexibilização porque é descentralizada, o que garante a segurança necessária”, disse.

O Petrópolis Gourmet acontece de 30 de outubro a 15 de novembro.

A expectativa é de que em 15 dias de evento, sobretudo nos finais de semana, a capacidade permitida hoje na rede hoteleira de 50% de ocupação seja mantida. “Nos últimos finais de semana e em feriados, já vínhamos alcançando esta ocupação que é boa para toda a cidade nesta fase de retomada”, disse Samir El Ghaoui, citando ainda a proximidade do município com a capital e Minas Gerais, que traz muitos cariocas e mineiros para a região serrana.