Petrobras anuncia a venda de áreas no Polo de Marlim na Bacia de Campos com produção no pré-sal

Bruno Rosa
·3 minuto de leitura
Divulgação/Eliana Fernandes
Divulgação/Eliana Fernandes

RIO - Com dezenas de ativos já em processo de venda, a Petrobras anunciou na manhã desta segunda-feira que vai se desfazer de parte de sua participação em quatro campos de petróleo na Bacia de Campos que produzem tanto no pré-sal quanto no pós-sal.

A estratégia da estatal é vender 50% dos 100% que detém nas concessões de Marlim, Voador, Marlim Leste e Marlim Sul. Esses campos estão no chamado Polo Marlim.

Apesar do negócio, a estatal disse que se manterá como operadora dos campos. As quatro áreas somam produção diária de 217 mil barris de petróleo por dia.

Segundo uma fonte do setor, a venda de parte desses campos já era aguardada pelo mercado desde que a estatal sinalizou que iria reduzir seus investimentos para os próximos anos.

Em setembro, a empresa disse que o investimento será entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões entre 2021 e 2025, ante US$ 64 bilhões anunciados no Plano Estratégico de 2020-2024.

Essa fonte observou que a estatal vai buscar parceiros para acelerar o investimento nos campos que listou como prioritário. Fazem parte desse grupo áreas como Marlim, Marlim Sul, Marlim Leste, Roncador, Tartaruga Verde e Barracuda. Há ainda Búzios, Tupi, Jubarte, Sépia, Atapu, Mero, Sapinhoá, Itapu e Berbigão.

Um analista destacou que a venda de parte dos campos tem uma dimensão importante para o mercado apesar da redução contínua de produção na Bacia de Campos, que já foi a maior região produtora do país e hoje soma 23% do total produzido, com 989 mil barris de petróleo e gás por dia.

Campos perdeu o posto para a Bacia de Santos, que passou a concentrar 66% da produção total do país por conta do pré-sal, com 2,6 milhões de barris diários de óleo e gás.

Marlim Leste, Marlim, Marlim Sul e Voador produzem tanto no pré-sal como no pós-sal.

Marlim e Marlim Leste, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), estão entre os 20 maiores campos do pré-sal.

Já Marlim Sul tem 67 poços produtores. É o maior entre os campos marítimos em número de perfurações. A primeira produção comercial de petróleo no pré-sal desse campo começou em 2017, observou a fonte.

Essa área na Bacia de Campos tem forte potencial para o pré-sal. Em setembro deste ano, a estatal informou que encontrou sinais da presença de petróleo em um poço exploratório numa área de águas ultraprofundas no pré-sal, no sul da Bacia de Campos.

No comunicado enviado à imprensa, o gerente executivo de Águas Profundas da Petrobras, Carlos José Travassos, disse que o anúncio esta iniciativa está longe de ser um movimento de saída da Petrobras da Bacia de Campos. Para exemplificar ele citou o projeto de revitalização de Marlim - que abrange a interligação de mais de cem poços aos sistemas já em operação.

“É só uma parte do plano de renovação já em andamento para a Bacia de Campos, que abrange a campanha exploratória dos 14 blocos adquiridos entre 2017 e 2019", disse em nota.