Petrobras aumenta gás canalizado em 7%, um dia após reajuste de combustíveis e botijão

·1 minuto de leitura

RIO - Um dia após a Petrobras elevar de uma só vez os preços de gasolina, diesel e gás de botijão, a estatal anunciou nesta terça-feira (dia 6) um novo reajuste, dessa vez do gás natural canalizado. A alta será de 7% no preço do insumo vendido a distribuidoras, a partir de 1º de agosto.

O gás canalizado e os combustíveis se somam a outros itens do cotidiano dos brasileiros que está em alta e pressiona a inflação, como os preços de alimentos e tarifas de energia elétrica, elevadas por causa da crise hídrica..

Além de abastecer residências com infraestrutura de gás canalizado, o combustível produzido pela Petrobras também chega a indústrias por meio de gasodutos. A alta dessa fonte de energia tende a ser repassada para produtos industriais, contribuindo para a inflação.

Para explicar a alta de 7% por metro cúbico, a empresa afirmou que as fórmulas negociadas nos contratos de fornecimento vinculam o preço à cotação do petróleio, que vive alta volatilidade, e à taxa de câmbio. As atualizações dos preços dos contratos são trimestrais.

No último trimestre, também houve aumento. Em maio, a estatal havia reajustado os preços em 39% por metro cúbico. Segundo a estatal, a referência para os contratos a partir de agosto é a cotação dos meses de abril, maio e junho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos