Produção da Petrobras bate meta em 2022, mas cai 2,6% ante ano anterior

Trabalhador em tanque da Petrobras, em Brasília

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras bateu a sua meta de produção para 2022 com volume médio de 2,154 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), mas o montante ficou 2,6% abaixo do produzido no ano anterior, segundo dados publicados pela petroleira estatal nesta terça-feira.

O objetivo da empresa era produzir 2,1 milhões de bpd no ano passado, podendo variar em 4% para cima ou para baixo. O volume ficou 2,6% acima do centro da meta, destacou a companhia.

Em 2021, a empresa havia produzido média de 2,211 milhões de bpd.

Somando a produção de petróleo e gás natural em 2022, a companhia produziu média de 2,684 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), batendo também a meta de 2,6 milhões de boed para o período, que poderia variar em 4% para cima ou para baixo.

A produção comercial, por sua vez, alcançou 2,361 milhões de boed, 2,7% acima da meta de 2,3 milhões de boed e também dentro da faixa de variação de 4% para cima ou para baixo, informou a empresa.

Dentre os destaques do ano passado, a companhia destacou o início da produção da plataforma Guanabara, no campo de Mero, em abril, e da P-71, no campo de Itapu, em dezembro, ambas no pré-sal da Bacia de Santos.

No período, também foi alcançada a capacidade máxima de produção de óleo das plataformas P-68, nos campos de Berbigão e Sururu, e do FPSO Carioca, no campo de Sépia.

O FPSO Carioca atingiu novo recorde mensal de produção de uma plataforma do pré-sal, com 174 mil bpd em novembro.

"Registramos ainda recorde de produção mensal de óleo em um único poço, ATP-06 na plataforma P-70, com 56,5 mil bpd, também em novembro", disse a Petrobras.

"Os recordes demonstram excelente desempenho operacional em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas, onde a Petrobras detém conhecimento técnico reconhecido internacionalmente."

A Petrobras ressaltou que também avançou com o plano de renovação da Bacia de Campos, com a entrada em operação de 10 novos poços produtores e quatro poços injetores de desenvolvimento complementar, ampliando o potencial de produção desta bacia em 94 mil bpd.

Segundo a Petrobras, os resultados reforçam só foram possíveis graças ao esforço de toda a cadeia do segmento de exploração e produção e pela gestão ativa de sua carteira de projetos.