Petrobras cancela palestra de economista americana que criticou governo Bolsonaro

Ramona ordoñez
Economista americana Deirdre McCloskey, ex-professora da Universidade de Chicago

RIO - A Petrobras cancelou uma palestra que seria feita nesta segunda-feira, na sede da companhia, a seus funcionários pela economista americana Deirdre McCloskey, defensora do liberalismo econômico e ex-professora da Universidade de Chicago. Ela atuou na universidade americana na década de 1970, na mesma época em que o ministro da Economia, Paulo Guedes, cursava lá o seu doutorado.

O cancelamento da palestra foi comunicado na manhã desta segunda-feira aos funcionários, três dias depois de a economista dizer, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, que o governo Jair Bolsonaro é "qualquer coisa menos liberal".

A professora americana faria na Petrobras a palestra "O cerne da liberdade é a liberdade econômica". Em nota, a estatal afirmou que a apresentação foi cancelada por causa de mudanças na agenda da diretoria da companhia, envolvida no road show (apresentação) da oferta pública de distribuição secundária de ações ordinárias da Petrobras de titularidade do BNDES.

A palestra que seria feita pela economista fazia parte do programa “Diálogos do Conhecimento”, que traz convidados para palestras voltadas à alta administração, mas abertas a todos os empregados.

Segundo a Petrobras as palestras são presenciais, com a participação do presidente da companhia, diretores e gerentes executivos. Estão previstas cinco palestras desse tipo até maio, além de outras que deverão acontecer ao longo do ano.De acordo com a Petrobras, a maioria da palestras não são pagas, como aquelas proferidas por ocupantes de cargos na administração pública, mas algumas são. "As palestras remuneradas anteriormente representaram um investimento total de aproximadamente R$ 100 mil pela Petrobras", explicou a Petrobras.