Petrobras é acusada de propaganda enganosa com preço da gasolina

·1 minuto de leitura
Na propaganda, a Petrobras argumenta não ter culpa pelos recentes aumentos no preço dos combustíveis. Foto: Getty Images.
Na propaganda, a Petrobras argumenta não ter culpa pelos recentes aumentos no preço dos combustíveis. Foto: Getty Images.
  • A ação tramita na 18ª Vara Cível e é assinada pelos procuradores gerais de diversos estados;

  • De acordo com uma das peças divulgadas pela Petrobras, o preço elevado adviria do ICMS coletado pelos Estados;

  • Em texto, a estatal afirma que receberia apenas R$ 2 dos R$ 6 pagos pelo consumidor.

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) de 11 Estados e do Distrito Federal entraram com ação civil pública para retirar uma propaganda supostamente enganosa do site da Petrobras, na sexta-feira. Com caráter de urgência, a ação quer suspender a divulgação da peça que informa a composição dos preços dos combustíveis da estatal.

Na propaganda, a Petrobras argumenta não ter culpa pelos recentes aumentos no preço dos combustíveis, mesmo tendo subido o preço da gasolina em 51%. A peça informacional é um texto assinado por Joaquim Silva e Luna, presidente da estatal. Lá, explica-se como o preço da gasolina é concebido no Brasil.

Segundo as informações divulgadas no texto “Preço de Venda de Combustíveis”, a Petrobras receberia apenas R$ 2 dos R$ 6 pagos pelo consumidor. Contudo, o texto acompanha um vídeo, que explica o processo de extração e venda do petróleo aos postos, delegando o preço elevado dos combustíveis ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS), coletado pelos Estados.

A ação civil pública foi assinada pelos procuradores gerais dos Estados da Estados da Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Pará, Maranhão, Sergipe, Piauí, Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Amapá e Minas Gerais, além do Distrito Federal.

As informações são da Época Negócios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos