Petrobras e Unigel fecham contrato de gás natural para fábricas de fertilizantes

·2 minuto de leitura
Logo da Petrobras fotografado em Vitória (ES)

(Reuters) - A Petrobras e a Proquigel Química, do Grupo Unigel, assinaram contrato para o fornecimento de gás natural a unidades de fertilizantes na Bahia e Sergipe, arrendadas pela estatal à companhia do setor petroquímico, informou a Unigel nesta sexta-feira.

Após a assinatura dos acordos, a unidade de Sergipe, localizada no município de Laranjeiras, tende a operar já neste mês de janeiro, enquanto a fábrica na Bahia, em Camaçari, deve iniciar operações no final de março, disse a empresa.

No caso de Sergipe, a movimentação do gás natural será de responsabilidade da Sergipe Gás S/A (Sergas), que disse ter investido 2,8 milhões de reais na construção da infraestrutura necessária para a operação.

A posse dos ativos de fertilizantes, antes conhecidos como Fafens e agora batizados de Unigel Agro, foi transferida ao Grupo Unigel pela Petrobras em agosto de 2020, quando havia previsão de início de operações em janeiro deste ano.

O arrendamento das fábricas à Unigel tem prazo de dez anos, com possibilidade de renovação por mais uma década.

"O contrato... será suficiente para abastecer as duas fábricas de fertilizantes. Isso ajudará a Unigel a suprir uma demanda importante de insumos para agricultura, pecuária e indústria nacional, que hoje depende da importação de outros países, retomando a produção de ureia e sulfato de amônio", disse em nota o CEO da Unigel, Roberto Noronha Santos.

A empresa também destacou que a retomada das fábricas reforça sua competitividade no segmento de acrílicos, já que parte da amônia produzida nas unidades no Nordeste deixará de ser importada.

A Unigel, segundo informações da empresa, é a maior produtora latino-americana de acrílicos e estirênicos, com plantas nos Estados de São Paulo e Bahia.

Mais cedo neste mês, a companhia havia anunciado a captação de 110 milhões de dólares no mercado internacional de capitais para investimentos nos ativos de fertilizantes arrendados junto à Petrobras.

O valor do contrato de gás natural com a estatal não foi divulgado.

(Por Ricardo Brito e Gabriel Araujo)