Petrobras reforça medidas para proteger trabalhadores em plataformas do coronavírus

Ramona Ordoñez
Petrobras reduziu pessoal embarcado em plataformas para evitar contágio do coronavírus

RIO — Com o objetivo de aumentar a segurança dos trabalhadores na prevenção contra o coronavírus, a Petrobras anunciou nesta quinta-feira mudanças nas operações para funcionários embarcados. O efetivo de trabalhadores nas plataformas foi reduzido para o mínimo possível, e os funcionários tiveram o período de descanso reduzido, para acrescentar sete dias de quarentena antes do embarque.

Com as alterações, a escala será de 21 dias de trabalho, sendo sete dias em quarentena em hotel bancado pela companhia, por 14 de descanso. Antes, a escala era de 14 dias de trabalho por 21 de descanso.

Em nota, a Petrobras informa que as mudanças nos turnos não implicarão em alterações nos salários. Segundo a empresa, todos receberão o salário normal, inclusive os que não forem convocados para embarque. E os que tiverem extensão na escala por causa do período de isolamento receberão horas extras.

Com essas medidas, a Petrobras pretende reduzir a circulação de pessoas nas plataformas e as trocas de turno, reduzindo o risco de contaminação. A empresa informou que está em contato com os sindicatos e as autoridades governamentais, além de avaliar diariamente a adoção de novas medidas.

Nos aeroportos para o embarque dos trabalhadores para as plataformas, as medidas de triagem foram intensificadas, com a medição da temperatura de todos os trabalhadores e reforço nas orientações de saúde. Caso algum trabalhador a bordo apresente algum sintoma suspeito, ele será imediatamente desembarcado e todos que tiveram contato terão acompanhamento médico.