Petrobras registra lucro de R$ 44,56 bilhões no primeiro trimestre, alta de mais de 3.700%

A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 44,561 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O resultado é maior que o R$ 1,16 bilhão obtido do mesmo período do ano passado, quando a empresa ainda sofria os impactos da pandemia. É uma alta de 3.718,4% na comparação anual.

Analistas esperavam um ganho entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões entre janeiro e março deste ano por conta da escalada do petróleo no mercado internacional, impulsionada pela guerra na Ucrânia.

Em carta a acionistas, o presidente da estatal, José Mauro Coelho, disse que "a Petrobras está distribuindo os frutos de sua geração de valor para a população brasileira".

Receita sobe 64,4%

No trimestre, a receita de vendas ficou em R$ 141,641 bilhões, alta de 64,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a estatal, o avanço da receita e do lucro foram embalados pelo preço do barril do pretróleo no exterior, que subiu de US$ 60,90, no primeiro trimestre do ano passado, para US$ 101,40 nestes três primeiros meses de 2022, uma alta de 66,5%. A companhia também ressaltou o aumento nas exportações de petróleo, óleo combustível, com avanço de 60,8%.

A empresa destacou ainda as maiores margens do diesel e os ganhos cambiais devido à valorização do real frente ao dólar.

Queda em investimentos

Coelho ressaltou, em nota, que o resultado financeiro se deve ao fato de a estatal estar saneada. O endividamento bruto da estatal atingiu US$ 58,554 bilhões no primeiro trimestre de 2022, valor 17,5% menor que a dívida no mesmo período de 2021.

Por outro lado, a estatal investiu menos. Houve queda de 7,6% nos primeiros três meses em todas as áreas de atuação da estatal, para US$ 1,768 bilhão.

A companhia lembrou ainda que nos primeiros três meses desse ano recebeu US$ 1,8 bilhão com a venda de ativos.

Especialistas lembraram que os maiores ganhos com a venda de petróleo e de derivados ajudaram a impulsionar os ganhos neste início de ano. No primeiro trimestre deste ano, o preço do barril chegou perto dos US$ 130 por conta da guerra na Ucrânia.

Desde janeiro, a estatal reajustou os preços do diesel e da gasolina duas vezes nas refinarias. No caso da gasolina, a alta chegou a 24,9%. No diesel, o aumento foi de 35% nas refinarias.

No primeiro trimestre deste ano, a estatal registrou 2,46 milhões de barris de petróleo e gás natural equivalente (boe) por dia, quase mesmo patamar dos 2,45 milhões de barris do mesmo período do ano passado.

A estatal informou recentemente que a venda de derivados no primeiro trimestre teve alta de 2% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado foi influenciado pelo forte avanço da gasolina, com alta de 17,3%, e queda de 2,1% no caso do diesel.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos