Petrobras vai distribuir até US$ 70 bi nos próximos cinco anos, com venda de ativos e caixa reforçado

·3 min de leitura

RIO - A Petobras espera distribuir entre U$ 60 bilhões e US$ 70 bilhões em dividendos entre 2022 e 2026. A informação foi dada pelo diretor financeiro da estatal, Rodrigo Araujo, durante a apresentação do novo plano de negócios a investidores na manhã desta quinta-feira.

Na noite de quarta-feira, a companhia anunciou que pretende destinar US$ 68 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos.

Para distribuir esse volume de dividendos, a estatal espera alcançar entre US$ 150 bilhões e US$ 160 bilhões em geração de caixa e arrecadar entre US$ 15 bilhões e US$ 25 bi bilhões com a venda de ativos nos próximos cinco anos.

O presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, disse ainda que no horizonte do plano está previsto pagamento de tributos de cerca de US$ 70 bilhões.

- O plano de negócios espelha a importância de uma Petrobras forte e saudável. Os dividendos destinados à União e aos demais acionistas representam mais de 86% da nossa geração de caixa operacional (durante 2022-2026) - afirmou Luna.

Patamar mínimo de dividendos

A intenção da estatal é fazer pagamentos trimestrais de dividendos nos próximos cinco anos. A empresa informou que o patamar mínimo de dividendos anuais será de US$ 4 bilhões para os anos em que o preço médio do Brent for superior a US$ 40 bilhões e a dívida bruta for menor que US$ 65 bilhões.

Silva e Luna disse que a estatal só conseguiu elevar os investimentos em 24% para os anos de 2022 e 2026 por conta da redução da dívida. Ele disse ainda que a Petrobras vai continuar com sua gestão de portfólio, com a venda de ativos, que ele classificou como "essencial".

Na lista continuam Gaspetro, Braskem, térmicas a óleo, unidades de fertilizantes e campos de petróleo em terra e águas rasas, entre outros.

- Com o equacionamento da dívida, nos vimos em condições de aumentar em 24% os investimentos. Vamos focar nos ativos e operações que apresentam maiores retornos e menores riscos. A empresa segue focando no que faz de melhor, que é a produção de ativos de petróleo e gás em águas profundas e ultraprofundas, como o pré-sal - disse ele.

A dívida bruta da empresa hoje é de US$ 59,6 bilhões, abaixo da meta de US$ 60 bilhões que estava prevista para ser alcançada apenas em 2022.

Preço do petróleo deve cair em 2022

Segundo Silva e Luna, a Petrobras pretende colocar em operação 15 novas plataformas em seis campos. Na área de refino, ele destacou o investimento em eficiência para ter uma operação mais sustentável.

A Petrobras espera investir US$ 6,1 bilhões na área de refino. Em gás e energia, os recursos chegam a US$ 1 bilhão.

O diretor financeiro da estatal destacou a modernização do refino, como o investimento em biorrefino. Atualmente, a empresa está em processo de venda de metade de sua capacidade de refino. Das oito unidades que pretende se desfazer, três já foram vendidas, como a da Bahia.

Araujo lembrou que a estatal vai investir nas áreas da polêmica Margem Equatorial, devido aos bons resultados obtidos na Guiana.

A Petrobras espera que o preço do petróleo caia nos próximos anos em relação ao patamar atual. Em apresentação, o diretor financeiro destacou que o valor do Brent deve ficar em US$ 72 (2022), caindo para US$ 65 (2023) e até US$ 55 (2026).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos