Petroleiro iraniano é atacado na costa síria (ONG)

Bachir EL KHOURY
·2 minuto de leitura
Foto fornecida pela agência oficial síria SANA em 24 de abril de 2021 mostra fumaça subindo de um petroleiro no porto de Banias, no oeste da Síria

Um petroleiro iraniano foi atacado neste sábado (24) na costa da Síria, no primeiro incidente do tipo desde o início da guerra no país, há dez anos, informou uma ONG síria.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), com sede em Londres, que tem uma grande rede de fontes na Síria, não conseguiu determinar a origem do ataque - um drone ou um míssil.

"Também não se sabe se foi um ataque israelense ou não", declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, à AFP.

"O petroleiro iraniano vindo do Irã estava parado não muito longe do porto de Banias no momento do ataque" e um de seus tanques foi atingido, segundo a mesma fonte.

A República Islâmica do Irã é um país aliado do regime sírio de Bashar al-Assad, mas inimigo de Israel.

Israel visa periodicamente posições iranianas na Síria. E cerca de dez dias atrás, o Irã acusou os israelenses de "sabotagem" em sua usina de enriquecimento de urânio de Natanz.

Em Damasco, o ministério do Petróleo, citado pela agência oficial Sana, afirmou que um incêndio eclodiu em um dos tanques de um petroleiro não identificado, atingido "provavelmente" por um ataque de drone, na costa de Banias. O fogo agora está "sob controle", informou.

Nenhuma fonte reportou vítimas.

Este é o primeiro ataque do tipo desde o início da guerra na Síria, em 2011, de acordo com a ONG.

Vizinho da Síria, Israel realizou centenas de ataques desde 2011, inclusive com drones, contra posições do poder sírio e de seus aliados, tropas iranianas e combatentes libaneses do Hezbollah, outro inimigo do Estado hebreu.

Israel afirma que quer impedir o Irã de se estabelecer na Síria. Os militares israelenses raramente reconhecem publicamente seus ataques em território sírio.

Na quinta-feira, um oficial sírio foi morto perto de Damasco em ataques israelenses de acordo com o OSDH. Israel alegou que respondeu a um míssil disparado da Síria e que caiu no sul de Israel, perto de uma instalação nuclear.

Várias instalações de hidrocarbonetos foram alvos de ataques na Síria.

Em fevereiro de 2020, quatro locais de petróleo e gás na província central de Homs foram atacados por drones armados, causando incêndios e danos materiais.

Esses ataques, que não foram reivindicados, ocorreram uma semana após a sabotagem por desconhecidos dos oleodutos offshore da refinaria de Banias. Uma sabotagem semelhante realizada com explosivos colocados nos oleodutos ocorreu seis meses antes.

A guerra na Síria, desencadeada em 2011 pela repressão aos protestos pró-democracia, custou à indústria do petróleo dezenas de bilhões de dólares.

As sanções ocidentais sobre o transporte de petróleo, bem como as medidas punitivas dos EUA contra o Irã, tornaram as importações ainda mais complicadas.

Antes do conflito, a produção de petróleo bruto da Síria atingia quase 400.000 barris por dia. Em 2020, somou apenas 89.000 b/d de acordo com o ministério do Petróleo, incluindo até 80.000 em áreas curdas que escapam ao controle do regime.

bek/tp/me /mr