PF abre inquérito contra Pazuello por suposta omissão em Manaus, diz fonte

Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Manaus

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal abriu inquérito contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, por suposta omissão na gestão da pandemia da Covid-19 em Manaus, disse uma fonte com conhecimento do assunto nesta sexta-feira.

Agora a PF vai cumprir as diligências determinadas pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que havia determinado o início da investigação na segunda-feira, após pedido feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras.

Entre as diligências a serem cumpridas pelos policiais por ordem do STF, está o depoimento de Pazuello. Ele terá a prerrogativa de marcar dia e hora para se pronunciar sobre o caso. Na decisão, Lewandowski havia dado cinco dias para que Pazuello deponha, contados a partir da sua intimação.

A investigação que corre sob sigilo ficará a cargo do Serviço de Inquérito da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor) da PF, que terá 60 dias para concluir as apurações, disse a fonte.

Pazuello terá de responder, por exemplo, sobre a atuação do ministério diante da segunda onda da Covid na capital do Amazonas, com explosão de casos, superlotação dos hospitais e falta de oxigênio, o que levou alguns pacientes hospitalizados a morrerem sufocados.

Essa é a primeira investigação criminal contra uma autoridade federal em razão da pandemia de Covid-19, e significa também um revés para o presidente Jair Bolsonaro, que vem elogiando publicamente a atuação de Pazuello e registrou queda recente em sua popularidade em meio ao recrudescimento do novo coronavírus no país.