PF abre inquérito para investigar ameaças a diretores e servidores da Anvisa

·2 min de leitura
Servidores e diretores da Anvisa receberam ameaças (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Servidores e diretores da Anvisa receberam ameaças (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
  • Polícia Federal abriu inquérito para apurar as ameaças sofridas por servidores da Anvisa

  • Agência aprovou a vacina da Pfizer contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos

  • Anúncio foi feito na última semana

A Polícia Federal do Distrito Federal abriu inquérito para apurar as ameaças sofridas por servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A informação é da TV Globo.

A investigação teve início um dia antes do anúncio feito pelo órgão de que a vacina da Pfizer contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos havia sido aprovada.

Ainda segundo a TV Globo, novos e-mails com ameaças foram enviados nesta segunda-feira (20) aos diretores da Anvisa.

No domingo, a Agência solicitou aos órgãos competentes proteção para os servidores. Leia a nota na íntegra:

"A Anvisa informa que, em face das ameaças de violência recebidas e intensificadas de forma crescente nas últimas 24 horas, foram expedidos neste domingo (19/12) ofícios reiterando os pedidos de proteção policial aos membros da Agência. Tais solicitações já haviam sido feitas no último mês de novembro quando a Agência recebeu as primeiras ameaças.

O crescimento das ameaças faz com que novas investigações sejam necessárias para identificar os autores e apurar responsabilidades.

A Agência está dando ciência dessas atividades criminosas as seguintes autoridades: Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional), Ministro da Justiça, Procurador-Geral da República, Diretor-Geral da Polícia Federal e Superintendente Regional da Polícia Federal no Distrito Federal.

Mesmo diante de eventual e futuro acolhimento dos pleitos, a Agência manifesta grande preocupação em relação à segurança do seu corpo funcional, tendo em vista o grande número de servidores da Anvisa espalhados por todo o Brasil.

Não é possível afastar neste momento que tais servidores sejam alvo de ações covardes e criminosas.

A Anvisa não publicará os anexos que materializam as ameaças recebidas para não expor os dados pessoais dos envolvidos, no entanto, todas as informações foram encaminhadas às autoridades responsáveis.

A Anvisa segue em sua missão de proteger a saúde do cidadão".

Nesta segunda-feira (20), a PGR se manifestou sobre o ofício da Anvisa. Leia também a nota na íntegra:

"Em ofício enviado, neste domingo (19), ao diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, a Procuradoria-Geral da República (PGR) informou ter determinado a adoção de providências no sentido de contribuir para assegurar a proteção dos dirigentes da agência diante de ameaças feitas a diretores do órgão, possivelmente em represália a posições técnicas adotadas no campo de suas competências. O documento responde a ofício encaminhado também nesse domingo por Barra Torres à PGR, em que são relatadas ameaças por meio de redes sociais.

O ofício também destaca que comunicações anteriores acerca de situações assemelhadas “foram diligentemente tratadas por membros do Ministério Público Federal no Distrito Federal e no Paraná, que contam, no tema, com o zeloso trabalho da Polícia Federal”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos