PF apreende 78 kg de ouro em aeronave escoltada por PMs de São Paulo

BRASÍLIA, DF, E SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal apreendeu na tarde desta quarta-feira (4) 78 kg de ouro em uma aeronave em Sorocaba, interior de São Paulo. Pela cotação atual, o carregamento é avaliado em cerca de R$ 23 milhões.

O avião, um King Air, foi monitorado pelos agentes federais enquanto o ouro era descarregado em malas de viagens.

Durante a ação, a PF descobriu que policiais militares do estado de São Paulo eram os responsáveis pela escolta do carregamento.

Após a retirada da carga, o ouro foi colocado em dois veículos que foram abordados na rodovia Castello Branco, sentido a capital de São Paulo.

Segundo a PF, nos veículos foram encontradas as três malas que haviam sido filmadas sendo retiradas da aeronave. Uma quarta mala também foi apreendida e continha documentos diversos.

"Seis suspeitos foram conduzidos à delegacia da PF em Sorocaba, e instaurado inquérito policial para apurar a possível prática dos crimes de usurpação de bens da União e receptação doloso", disse a PF em nota.

Segundo apuração da reportagem, os responsáveis pelo carregamento apresentaram uma documentação para justificar o volume. A PF diz que os papéis indicam que o ouro seria oriundo de Mato Grosso e do Pará.

A PF, no entanto, suspeita que a origem do ouro seja ilegal.

Dois dos PMs que atuavam na escolta estão lotados na Casa Militar do Governo de São Paulo, que é o órgão que cuida da segurança do governador. Um deles está afastado desde dezembro para cumprir licença antes de passar para a reserva.

A informação consta no boletim de ocorrência registrado pela Polícia Rodoviária.

De acordo com o documento os policiais da Casa Militar que transportavam o ouro são o tenente-coronel Marcelo Tasso e o sargento Gildsmar Canuto. Um dos objetivos da apuração da PF será entender o envolvimento dos PMs no transporte do ouro.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, foi elaborado um boletim de ocorrência para averiguar a extração irregular de minério. Além disso, a Corregedoria da Polícia Militar acompanha a investigação.

OUTROS CASOS

Não é a primeira vez que ouro é apreendido em aviões no país.

Em agosto do ano passado, a Polícia Federal apreendeu 52 kg do metal em barras no aeroporto do Campo de Marte, na zona norte paulistana. De acordo com a polícia, a carga não tinha documentação fiscal e a perícia apontou indícios de que o minério tinha vindo de áreas de garimpo clandestino no norte do país. De acordo com a PF, parte do ouro era usado para fabricação de joias na Itália.

Também em agosto passado, outros 39 kg de ouro (R$ 11 milhões na cotação da época) estavam em uma mala encontrada perto de um avião de pequeno porte no aeroporto de Jundiaí (SP). A aeronave vinha do Pará. Um suspeito foi ouvido pela polícia e liberado em seguida. Não foi determinada a origem do produto.

Em junho de 2019, uma carga de 110 kg de ouro (R$ 20 milhões na cotação da época) foi apreendida no aeroporto de Goiânia em uma aeronave que teria saído de Goiânia e, ainda de acordo com a PF, esteve no Pará e Maranhão antes de voltar para a capital de Goiás.

Um mês antes, em 28 de maio de 2019, outros 16 kg de ouro (R$ 2,6 milhões na cotação da época) em barras e mais R$ 500 mil em dinheiro vivo foram apreendidos no aeroporto de Aragarças (GO), em um avião que saiu do Pará e seguia para Catanduva, no interior de São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos