PF apura ação de caçadores em incêndio em Parque Nacional de Ilha Grande

·1 minuto de leitura

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal de Guaíra, no oeste do Paraná, está apurando a possível ação de caçadores durante um incêndio que atingiu o Parque Nacional de Ilha Grande, unidade de conservação que fica na divisa do estado com o Mato Grosso do Sul. A fiscalização foi intensificada na região.

Desde a noite da última terça-feira (17), o Parque tem sofrido com um incêndio florestal. Segundo o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) divulgou neste domingo (22), não há mais risco de propagação de fogo na região, apesar de as chamas ainda não estarem extintas

De acordo com o delegado-chefe da PF em Guaíra, Mário Leal, nos últimos dias, a unidade tem recebido denúncias sobre ações de caçadores que estariam se aproveitando da situação de vulnerabilidade dos animais diante das chamas, abatendo os bichos que tentam fugir dos focos de incêndio.

Em vídeos gravados pelas equipes, alguns servos aparecem desorientados por causa do fogo e expostos à margem do rio, o que facilita a ação de caçadores.

"Os animais ficam totalmente expostos, realmente desorientados por causa do fogo. Do jeito que os nossos policiais estavam os filmando, poderia ser um caçador. Se ele quiser, é só chegar do lado e abater o animal", afirmou Leal.

De acordo com o delegado, a PF recebeu nomes e imagens de suspeitos da ação. Porém, até agora, ninguém foi preso e nenhum equipamento de caça foi apreendido na área.

Além de caça ilegal, caso as denúncias sejam confirmadas, os criminosos podem responder por dano à Unidade de Conservação ou mesmo por acessá-la com equipamento de caça.

As ações de patrulhamento foram intensificadas no interior e no entorno do Parque Nacional, com a atuação de equipes do NEPOM (Núcleo Especial de Polícia Marítima).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos