PF faz busca e apreensão na casa de Ibaneis Rocha, governador afastado do DF

Ação também mira Fernando de Souza Oliveira, ex-secretário executivo da Segurança Pública do DF

Ibaneis Rocha e ex-secretário executivo da Segurança Pública do DF são alvos de mandados de busca e apreensão (REUTERS/Ueslei Marcelino)
Ibaneis Rocha e ex-secretário executivo da Segurança Pública do DF são alvos de mandados de busca e apreensão

(REUTERS/Ueslei Marcelino)

O governador afastado do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha (MDB), e o ex-secretário executivo da Segurança Pública do DF, Fernando de Souza Oliveira, são alvos de cinco mandados de busca e apreensão na tarde desta sexta-feira (20).

A ação está sendo cumprida pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Objetivo. Os procuradores buscam evidências que ajudem a esclarecer por que Ibaneis e Oliveira deixaram de tomar medidas efetivas para evitar as ações de vandalismo do dia 8 de janeiro.

Na ocasião, bolsonaristas extremistas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes – Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF).

Por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, Ibaneis ficará afastado do cargo por 90 dias.

Apuração. Os dois são investigados no inquérito do Ministério Público Federal que apura a conduta de autoridades de Estado durante os atos terroristas de 8 de janeiro.

O pedido de buscas:

  • Partiu do Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos da PGR

  • Foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF;

  • Envolve a participação da Polícia Federal (PF).

Operação Lesa Pátria

A PF também atua hoje na operação Lesa Pátria, ordenada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Foram expedidos 8 mandados de prisão preventiva, além de 16 de busca e apreensão. Eles são cumpridos no Distrito Federal e outros cinco estados.

A operação mira financiadores e participantes dos atos terroristas no DF. Pela manhã, quatro suspeitos foram presos:

  • Ramiro Alves Da Rocha Cruz Junior, conhecido como Ramiro dos Caminhoneiros;

  • Randolfo Antonio Dias;

  • Renan Silva Sena;

  • Soraia Bacciotti.

Saiba aqui quem são eles.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostra, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Obras de arte foram destruídas, itens roubados e o prejuízo ainda é calculado pelas autoridades. Veja a lista completa de obras destruídas nos ataques. Até o fim da segunda (10), pelo 1.500 envolvidos no episódio já haviam sido presos.