PF combate criminosos que lavavam dinheiro do tráfico internacional

Grupos criminosos dedicados à lavagem de dinheiro do narcotráfico internacional são alvos da Operação Corona deflagrada hoje (15) pela Polícia Federal nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e do Amazonas.

As investigações que resultaram na operação desta quarta-feira foram iniciadas em 2020 após a apreensão de cerca de 650 quilos de cocaína no Aeródromo da Coroa do Avião em Igarassu, cidade localizada na região metropolitana do Recife.

Segundo a PF, naquela ocasião, o piloto, copiloto e outros criminosos foram presos em flagrante quando descarregavam a droga. “O plano do grupo criminoso visava ocultar a cocaína numa exportação de sucata destinada à Europa pelo Porto de Suape”.

Com o aprofundamento das investigações, foi descoberta uma estrutura criminosa de empresas de fachada criadas com a finalidade de movimentar dinheiro para o crime organizado transnacional. As empresas estão espalhadas pelo país, mas a maior parte concentrada em municípios do estado de São Paulo. Só nos primeiros quatro meses de 2020, elas movimentaram mais de R$ 116 milhões.

Os policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão e 9 de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Federal em Pernambuco, em endereços ligados aos investigados, em cidades dos quatro estados.

O nome da operação, Corona, é uma palavra espanhola que significa coroa em português e se refere ao nome do aeródromo, onde a cocaína foi apreendida no início de 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos