PF cumpre mandado de busca contra Carla Zambelli em SP e apreende mais armas

Operação está relacionada ao episódio em que deputada Carla Zambelli perseguiu um homem com uma arma na mão na capital paulista - Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images
Operação está relacionada ao episódio em que deputada Carla Zambelli perseguiu um homem com uma arma na mão na capital paulista - Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images
  • PF deflagra operação contra Carla Zambelli;

  • Agentes cumprem dois mandados de busca em dois endereços da parlamentar;

  • Objetivo é encontrar eventuais armas de fogo que a bolsonarista não entregou às autoridades.

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (3) uma operação contra a deputada Carla Zambelli (PL) em São Paulo. Agentes cumprem dois mandados de busca em dois endereços da parlamentar.

O objetivo é encontrar eventuais armas de fogo que a bolsonarista não tenha entregado às autoridades, após o episódio em que ameaçou um homem com uma pistola na rua, pouco antes do segundo turno das eleições.

A cena aconteceu depois que ela e o rapaz discutiram por motivações política, já que tinham posicionamentos contrários. Ela afirmou que foi xingada e empurrada, mas um vídeo mostra que ela tropeçou e caiu, sem ter sido encostada pelo rival.

Segundo testemunhas, Zambelli entrou em um estabelecimento com a arma apontada dizendo "só vou te liberar se pedir desculpa", além de repetir "deita no chão". Em determinado momento, o homem negro levantou as mãos para o alto, pediu desculpa e deixou o local. Zambelli teria então dito que só "não o prenderia porque hoje não é permitido", em alusão à lei eleitoral em vigência.

Em dezembro, o STF (Supremo Tribunal Federal) deu um prazo de 48 horas para que a bolsonarista entregasse voluntariamente a pistola e munição usadas.

O que diz Zambelli

Conforme divulgado pela Veja, a deputada emitiu nota sobre a operação.

A Deputada Federal Carla Zambelli informa que, nesta terça-feira (03), tomou conhecimento de uma decisão de busca e apreensão determinada pelo Supremo Tribunal Federal, para fins de recolhimento de armas para defesa pessoal que estavam em sua residência.

Chama a atenção que mesmo a Dep. Zambelli tendo cumprido integralmente a decisão anterior, de forma voluntária, o STF tenha determinado uma medida ainda mais invasiva em seus endereços.

É preciso informar que o recurso apresentado pela defesa da Deputada não foi sequer apreciado, mesmo tendo sido protocolado antes do novo pedido de busca e apreensão da PGR.

Por fim, Zambelli informa que cooperou, como sempre fará, com as autoridades policiais para o cumprimento da decisão.

Caso qualquer atentado à vida da Deputada, agora desprotegida, aconteça, já sabemos o responsável".