PF diz que suspeito confessou matar jornalista e indigenista na Amazônia e levou a restos mortais

PF escolta suspeito de matar ornalista britânico Dom Phillips e o indigenista brasileiro Bruno Pereira, em Atalaia do Norte

BRASÍLIA (Reuters) - Um suspeito confessou ter matado o jornalista britânico Dom Phillips e o indigenista brasileiro Bruno Pereira, e levou a polícia a um local onde restos humanos foram desenterrados, disse o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Eduardo Fontes, em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Fontes acrescentou que a polícia trabalhará com a Interpol para confirmar a identidade dos corpos encontrados, e disse que mais prisões podem ocorrer nas investigações do caso.

"Foi realizada toda a reconstituição do crime, com autorização judicial, devidamente filmada. E depois nós fomos até o local onde ele (suspeito) anunciou que havia enterrado os corpos", disse Fontes na entrevista realizada em Manaus.

(Reportagem de Anthony Boadle; reportagem adicional de Maria Carolina Marcello)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos