PF e MPF fazem operação contra quadrinha por venda ilegal de cigarros; prejuízo é de R$ 2 bilhões à União

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal realizam, na manhã desta quarta-feira, a Operação Smoke Free, contra uma organização criminosa armada e especializada na venda ilegal de cigarros. Ao todo, são 27 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão. Entre os envolvidos estão um policial federal, policiais militares e bombeiros.

A investigação aponta que, durante um período de três anos, a quadrilha falsificou ou não emitiu notas fiscais e transportou ou vendeu cigarros vindos de crime em territórios dominados. De acordo com a PF, em consequência, a organização lavou o dinheiro obtido ilicitamente e remeteu altas quantias ao exterior.

"Além disso, a organização criminosa contava com uma célula de serviço paralelo de segurança, coordenado por policial federal e integrado por policiais militares e bombeiros, que também atuavam para atender aos interesses espúrios do grupo", diz trecho da nota da Polícia Federal.

Ainda segundo a corporação, o grupo causou um prejuízo de R$ 2 bilhões à União.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Além disso, também foi ordenado o bloqueio, sequestro e apreensão de bens, avaliados em cerca de R$ 300 milhões. Dentre eles estão imóveis, veículos de luxo, criptomoedas, dinheiro em espécie e depósitos em contas bancárias.