PF encontra notebook e caderneta do STF com acampados detidos no QG do Exército

A Polícia Federal encontrou um notebook e uma caderneta com identificação do Supremo Tribunal Federal (STF) entre os pertences de acampados que foram detidos no Quartel-General do Exército, em Brasília. No domingo, manifestantes golpistas invadiram a sede da Corte, além do Congresso e do Palácio do Planalto, deixando um rastro de destruição.

Imagens divulgadas em redes sociais mostram que itens como cadeiras, mesas e até quadros foram retirados dos palácios. Só na Câmara, 400 computadores foram destruídos, segundo balanço feito por técnicos da Casa.

O GLOBO apurou que o notebook, encontrado na mochila de um dos detidos, ainda estava com o adesivo que indica ser parte do patrimônio do Supremo.

Após os atos de terrorismo registrados no domingo, cerca de 1,2 mil pessoas foram detidas na manhã seguinte no acampamento bolsonaristas e levadas para um ginásio da Academia Nacional da PF, a 18,5 km da Praça dos Três Poderes.

Delegados da PF afirmaram a advogados dos detidos que foram pegos de surpresa com a quantidade de pessoas, mas que mobilizaram uma equipe de médicos e enfermeiros para prestar assistência ao grupo. Um grupo da OAB e de defensores públicos da União também acompanha os depoimentos e a triagem dos detidos, que estão sendo levados para penitenciárias de Brasília.

A advogada Samarah Motta, que defende um grupo de 30 detentos, contou ao GLOBO que viu alguns detidos com caneleiras, joelheiras e botas militares — indumentária que teria sido usada pelos manifestantes na invasão das sedes dos Três Poderes da República. Segundo ela, no entanto, a maioria dos detidos não participou do quebra-quebra.