PF faz busca e apreensão contra ex-estagiária do STF suspeita de ser informante de bolsonarista

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - A Polícia Federal cumpre busca e apreensão e toma o depoimento, nesta quinta-feira, de Tatiana Garcia Bressan, ex-estagiária do gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski suspeita de ter sido informante do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos.

A oitiva ocorre a pedido do ministro do Supremo Alexandre de Moraes, que determinou a medida nesta quarta-feira após vir a tona a informação de que a ex-estagiária de Lewandowski teria atuado como informante do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, investigado nos inquéritos da fake news e da atuação de uma organização criminosa digital contra a democracia.

Interlocutores do STF ainda confirmam ao GLOBO que Bressan também foi alvo de um mandado de busca e apreensão nesta quinta.

Relatório da PF, produzido com base no celular de Allan dos Santos, detectou conversas entre ele e a ex-funcionária antes da abertura dos inquéritos contra Allan dos Santos no Supremo. O conteúdo dos diálogos foi revelado nesta quarta pelo jornal "Folha de S.Paulo".

Os dois teriam se conhecido por serem alunos do ideológo Olavo de Carvalho. Na primeira troca de mensagens, Tatiana entra em contato com Allan dizendo estar interessada em trabalhar com a deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF). Ela também afirma que naquele momento estava atuando no gabinete de Lewandowski.

"Fique como nossa informante lá", responde o blogueiro, segundo a "Folha". A estagiária então teria dito: "Será uma honra. Estou lá kkk". A reportagem relata diversos diálogos entre eles, nos quais a estagiária passa informações de bastidores do Supremo ao blogueiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos