PF faz operação de busca e apreensão na casa de Ibaneis Rocha

A Polícia Federal (PF) está realizando na tarde desta sexta-feira uma operação de busca e apreensão na casa do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Os agentes também estão no antigo do escritório de advocacia de Ibaneis e na sede do Palácio Buriti, sede do governo do DF. A operação foi confirmada pelo advogado de Ibaneis, Alberto Toron, que disse que ainda não teve acesso à decisão que autorizou as buscas.

— O governador não tem nada a esconder, um mandado de busca e apreensão visa colher provas, mas neste caso, não há motivos para temor — disse o advogado ao GLOBO.

Por meio de uma nota, a defesa afirmou que "apesar de inesperada, já que Ibaneis sempre colaborou com a Justiça, a operação será a prova definitiva de inocência do governador".

Ibaneis foi afastado do cargo por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), por uma suposta omissão no planejamento de segurança dos atos terroristas do dia 8 de janeiro.

Depoimento na última semana

Na última semana, Ibaneis prestou depoimento à Polícia Federal. O comparecimento dele foi um pedido da própria defesa, que se antecipou a uma intimação. Os advogados afirmaram em documento enviado ao Supremo que o plano de segurança elaborado para a manifestação do último dia 8 sofreu "atos de sabotagem" das forças de segurança locais e acusa policiais de terem agido com "conivência" e "colaboração" com os manifestantes golpistas e de terem cometido "deserção". A peça foi encaminhada a Moraes.

No documento, os advogados admitem que a primeira impressão é de que houve "aparente falta de preparação para os atos anunciados", mas argumentam que "diversos agentes aos quais incumbiam a execução do protocolo de ação seguiram pela inaceitável e criminosa linha da conivência e da colaboração com os grotescos atos terroristas, tudo à revelia do que havia sido previamente alinhado".