PF faz operação contra organização de tráfico de drogas que cooptava funcionários no Aeroporto de Guarulhos

A Polícia Federal em São Paulo iniciou nesta terça-feira uma operação de repressão ao crime organizado e ao tráfico internacional de drogas. O alvo é uma organização que utilizava funcionários e prestadores de serviço do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Leia: Estudante da UFMG está em coma após ser encontrada em campus; família busca explicações

Entenda: Anestesista que estuprou paciente pode ser processado por improbidade administrativa?

Segundo a PF, a organização criminosa cooptava pessoal do aeroporto para que introduzissem carregamentos de cocaína direto nas aeronaves que realizavam voos regulares de Guarulhos, sem passar pelo sistema de segurança do aeroporto.

Os policiais cumprem 23 mandados de prisão preventiva e 24 de busca e apreensão. As medidas acontecem, simultaneamente, nos municípios de São Paulo, Sorocaba, Guarulhos e Praia Grande. Também é cumprido um mandado em Portugal.

Foram determinados, ainda, o sequestro/arresto de todos os bens imóveis e de veículos, além de todos os valores depositados em contas bancárias e aplicações financeiras em nome dos investigados. A soma desses recursos chega a cerca de R$ 53 milhões.

As penas pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico variam de 10 a 25 anos de reclusão.

Investigação começou em 2021

A operação foi chamada de "Bulk", em alusão a um dos compartimentos de carga de aeronaves comerciais de longo curso (bulk cargo), localizado no porão, próximo à parte traseira da aeronave.

A PF iniciou a investigação no ano passado. Durante o período, foram apreendidos quase 900 quilos de cocaína em nove ocasiões: três em Guarulhos, dois em Lisboa, um em Frankfurt/Alemanha e três em Amsterdã.

Ainda segundo os policiais, a organização criminosa estabeleceu uma coordenação hierárquica para garantir o sucesso da atuação no aeroporto. Ela atuava na parte externa do aeroporto, sendo responsável por adquirir e armazenar grandes quantidades de cocaína.

Além de ser proprietário da droga, esse grupo cuidava de toda a negociação em relação à quantidade, destino, especificação de voos e outras comunicações com os destinatários da droga no exterior.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos