PF indicia Bivar e outros 3 em esquema de candidaturas laranjas do PSL

Por Ricardo Brito
.

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal indiciou nesta sexta-feira o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar, e outras três candidatas por envolvimento em um esquema de candidaturas-laranja do partido em Pernambuco, reduto político do dirigente partidário, segundo uma fonte com conhecimento do assunto informou à Reuters.

O PSL é o partido pelo qual o presidente Jair Bolsonaro foi eleito. Contudo, após desentendimento com a cúpula partidária, em especial com Bivar, Bolsonaro se desfiliou da legenda para criar seu próprio partido, a Aliança pelo Brasil.

Em nota, a PF disse ter feito diligências na sexta com a realização de interrogatórios e indiciamento dos envolvidos a fim de concluir o inquérito político conduzido pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

"As investigações concluíram que representante de um partido político em Pernambuco teria ocultado/disfarçado/omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidário, através de três candidatas fictícias. Dos envolvidos, dois compareceram para os interrogatórios, enquanto outros dois não compareceram, apesar de regularmente intimados, o que ocasionou as suas qualificações e indiciamentos de forma indireta", informou a PF, na nota.

Segundo a assessoria de Bivar, a defesa do deputado ainda não teve acesso aos autos, por isso não vai se pronunciar neste momento.

A polícia disse ainda que, após a coleta de tais elementos, encerra a fase de instrução do inquérito. Informou que será elaborado o relatório final das diligências realizadas e provas coletadas para ser encaminhado ao Ministério Público Eleitoral para adotar providências que julgar cabíveis.

O MP poderá denunciar os indiciados, arquivar o caso ou ainda pedir novas diligências. Se forem denunciados, caberá a Justiça Eleitoral decidir se aceita a acusação e transformá-los em réus.